Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UEMA

2024
Descrição
  • AIRTON ANDRADE DA SILVA
  • ANÁLISE DA FENOLOGIA E PRODUTIVIDADE DA SOJA UTILIZANDO ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM DIFERENTES RESOLUÇÕES ESPACIAIS

  • Orientador : FRANCISCO CHARLES DOS SANTOS SILVA
  • Data: 29/01/2024
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo foi avaliar a eficiência de Índices de Vegetação (IV) na identificação dos estádios fenológicos da soja a partir de sistemas sensores orbitais com diferentes resoluções espaciais. A pesquisa foi realizada, em Balsas, MA, Brasil, com avaliações semanais da fenologia e do Índice de Área Foliar (IAF). Foram coletados dados espectrais da área de estudo a partir dos sensores MSI e WFI embarcados nos satélites Sentinel-2 e Amazônia-1, respectivamente. Os dados foram processados para obtenção dos índices NDVI, NDWI, SAVI, VARI, IV GREEN e GLI. A eficiência na identificação dos estádios fenológicos foi determinada por análise discriminante de Anderson, onde as melhores classificações foram as que apresentaram a menor Taxa de Erro Aparente (TEA). Os resultados do estudo demonstraram que a diferença da resolução espacial dos sensores não é fator determinante na identificação correta dos estádios fenológicos. Além disso, verificou-se que nenhum índice de vegetação obtido nos sistemas sensores apresentou 100% de eficácia na identificação de todos os estádios fenológicos, mas índices específicos RGB e NIR podem ser utilizados na identificação de alguns estádios fenológicos chaves, como a floração (R1 e R2), o final do desenvolvimento das vagens (R4) e desenvolvimento dos grãos dentro das vagens (R4 a R5.2). Os índices de vegetação obtidos a partir de sensores orbitais são eficazes na identificação dos estágios fenológicos da soja de forma rápida e barata.

  • ARIÁTILA ALVES DE OLIVEIRA
  • POTENCIAL ANTIFÚNGICO DOS ÓLEOS ESSENCIAIS DE Ocimum basilicum, Ocimum gratissimum, E Mentha villosa NO CONTROLE DE Fusarium Oxysporum F. sp. Tracheiphilum

  • Data: 29/05/2024
  • Mostrar Resumo
  • O uso intensivo e indiscriminado do controle químico, incluindo agentes de alta toxicidade, para combate de pragas, tem afetado negativamente o meio ambiente e o ser humano. Os óleos essenciais são conhecidos por possuírem propriedades antifúngicas naturais, tornando-se uma alternativa para o controle fitossanitário. No entanto, os óleos essenciais são voláteis e fotodegradáveis, o que reduz suas atividades a longo prazo. Sendo assim este trabalho teve como objetivo avaliar o perfil químico e o potencial antifúngico dos óleos essenciais das partes aéreas de Ocimum basilicum, Ocimum gratissimum e Mentha villosa sobre o fungo Fusarium Oxysporum f. sp. tracheiphillum em condições laboratoriais. Os óleos essenciais foram extraídos das folhas de alfavaca, hortelã, manjericão por meio de hidrodestilação e diluído nas concentrações de 25, 50, 75, 100, 250 e 500μL/Ml. Os constituintes químicos dos foram identificados por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas e ressonância magnética nucelar. A análise química demonstrou uma grande variedade de compostos, sendo os constituintes majoritários, Estragol e Linalool do O. basilicum; Estragol e 1,8-Cineol, do O.gratissmum e Rotundifolona da Mentha villosa. O potencial antifúngico de cada óleo foi avaliado durante 7 dias por meio de testes in vitro. Resultados preliminares constaram que em comparação ao controle, a solução contendo o óleo essencial de O.gratissmum na concentração de 500μL/Ml inibiu por completo o crescimento micelial do F.Oxysporum f. sp. tracheiphillum.

  • DANIELLE LOPES AGUIAR
  • Brassinosteróide e ácido salicílico no desenvolvimento de sorgo granífero sob estresse hídrico na fase de pré florescimento

  • Orientador : FÁBIO AFONSO MAZZEI MOURA DE ASSIS FIGUEIREDO
  • Data: 16/04/2024
  • Mostrar Resumo
  • O estresse hídrico afeta, negativamente, os vegetais. Ocasiona alterações nos aspectos fisiológicos e bioquímicos das plantas, levando à redução da produtividade. Apesar de ter resistência à baixa disponibilidade de água, o sorgo tem sua produção significativamente reduzida nessas condições. Assim, é necessário avaliar o uso de mitigadores desse estresse, como o Brassinosteróide (BR) e o Ácido Salicílico (AS). O objetivo do trabalho foi avaliar o efeito da aplicação isolada e em conjunto de brassinosteróides e ácido salicílico em plantas de sorgo submetidas ao estresse hídrico. O estudo foi implementado usando delineamento em blocos ao acaso (DBC), com esquema fatorial 2x4, incluindo dois níveis de água no substrato (irrigado e estresse hídrico) e quatro formas de utilização dos biorreguladores (Controle - sem o biorregulador; aplicação de BR na concentração de 0,1 μM; aplicação de AS na concentração de 1 mM; e a junção dos dois biorreguladores (BR e AS), totalizando oito tratamentos, cinco repetições e 40 unidades experimentais. A semeadura foi realizada com dez sementes por vaso, sendo o desbaste realizado e mantendo duas plantas. A umidade do substrato foi mantida próxima à capacidade de campo até os 50 dias após a semeadura (DAS), quando as plantas atingiram o pré-florescimento (fase mais sensível), sendo, então, submetidas ao tratamento de estresse hídrico com a suspensão gradativa da irrigação. Dos 51 ao 56 DAS as plantas foram submetidas ao estresse moderado, com 50% da capacidade de campo. Do 57 ao 62 DAS se iniciou o estresse severo, com o substrato em 20% da capacidade de campo. As plantas do tratamento controle permaneceram com a irrigação próximo à capacidade de campo até a maturação fisiológica dos grãos. O estresse hídrico e a aplicação dos biorreguladores influenciaram as variáveis de crescimento. O tratamento BR+AS se mostrou mais eficiente, pois obteve maior incremento em altura e diâmetro do colmo, além de maior massa seca de folhas, massa seca de colmo, massa seca de raiz e peso total de sementes. A aplicação em conjunto dos biorreguladores também foi responsável por aumentar o índice de verde nas folhas, a eficiência quântica máxima do fotossistema II, a eficiência primária do fotossistema II e o teor de pigmentos fotossintéticos em comparação com os tratamentos controle (sem aplicação dos biorreguladores).

2023
Descrição
  • CRISTIELE ASSUNÇÃO MATÃO
  • Dinâmica Socioambiental da Produção de Attalea speciosa no Maranhão como Subsídio para o Desenvolvimento Sustentável

  • Orientador : FÁBIO AFONSO MAZZEI MOURA DE ASSIS FIGUEIREDO
  • Data: 31/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • O estado do Maranhão é detentor da maior produção de babaçu do Brasil, cultura que desempenhava um importante papel socioeconômico para famílias extrativistas. Até meados da década de 80 essa cultura foi o escape para a crise que atingiu o Estado, após o declínio da produção têxtil-algodão. Porém, esse quadro mudou depois da introdução de leis que legitimaram a privatização e expropriação de terras públicas, restringindo o acesso das quebradeiras de coco-babaçu aos babaçuais. Esse fato deu início a conflitos por acesso a esse recurso natural, que vem diminuindo devido a introdução de atividades e implantação de cultivos agrícolas, pastagem e aumento de áreas desmatadas, o que pode ter influenciado na produção e extração de amêndoas de babaçu. Com isso, o objetivo do presente trabalho foi identificar o que tem ocorrido com babaçuais ao longo de três décadas e o que tem afetado no aumento e/ou na diminuição da produção dessa palmeira nas mesorregiões do estado do Maranhão. Identificar esses fatores é de suma importância, uma vez que o babaçu é classificado como uma palmeira que gera renda para diversas famílias. Os dados para o desenvolvimento da pesquisa foram adquiridos no banco do IBGE/SIDRA, MapBiomas e Lapig, onde técnicas de geoprocessamento foram implementadas no software QGIS para a análise espacial da dinâmica da produção de babaçu no Estado. Essas informações serão capazes de atualizar dados cartográficos da produção de babaçu e de reconstruir a evolução histórica dessa palmeira tão importante para a subsistência de muitas famílias. Além de contribuir com políticas públicas capazes de preservar tais áreas e instigar uma maior fiscalização e punição pela não devida preservação desses ambientes.

  • DIÉSSICA LETÍCIA JUNGES
  • Uso da imagem digital foliar como ferramenta para diagnosticar nitrogênio em feijão-caupi

  • Data: 15/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • A cultura do feijão-caupi é importante como fonte de alimentar, geração de emprego e renda, além de estimular a economia no Norte e Nordeste do Brasil. No entanto a baixa produtividade da cultura é um entrave a ser superado, por meio de tecnologias e manejos eficientes que aumentem a produção sem gerar custos excessivos aos agricultores. Objetivou-se avaliar por meio de imagens digitais de folhas de feijão-caupi, os indexadores de coloração vegetal teriam correlação com status nitrogenado das plantas. Juntamente com avaliação de indexadores de vegetação que se correlacionem com a produtividade de diferentes genótipos de feijão-caupi. Utilizou-se 20 genótipos de feijão-caupi na condução experimental, a fim de determinar um indexador que se adapte a diversos genótipos de feijão-caupi. Os indexadores que melhoram se correlacionaram com Teor de Nitrogênio Foliar foi o DGCI, o qual teve correlação forte positiva de 0,7. Já para produtividade não foi possível determinar um indexador de vegetação capaz de predizer a produtividade. Isso demonstrou que é possível determinar o nitrogênio foliar de diversos genótipos de feijão-caupi de forma fidedigna a realidade, mas não é viável utilizar esses indexadores para produtividade.

  • DYANE DE LIMA GOMES
  • Eficiência do Uso do Carbono em um Solo Enriquecido com Cálcio e Silício sob o Efeito da Aplicação de Biomassa de Alta Qualidade

  • Orientador : EMANOEL GOMES DE MOURA
  • Data: 27/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Para que a sustentabilidade do solo seja alcançada nos trópicos úmidos o uso de práticas de manejo capazes de aumentar o conteúdo de matéria orgânica estável são essenciais, práticas como a utilização da biomassa de leguminosas e adubação com cátions auxiliam nesse processo. Com isso, o objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da interação entre a biomassa de alta qualidade com os cátions polivalentes Ca2+ e Si2+ sob a eficiência do uso do carbono e como esse efeito interfere no acúmulo da fração estável da matéria orgânica do solo. Para isso a atividade da biomassa microbiana e o carbono orgânico do solo têm sido utilizados como indicadores. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com oito tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos constituíram arranjos de leguminosas com cálcio, silício e ureia. A combinação de silício mais biomassa de leguminosa foi o tratamento que apresentou maior eficiência do uso do carbono e maior incorporação do carbono orgânico na biomassa microbiana. Todavia, os resultados indicaram que a combinação de biomassa de leguminosas em consocio com ambos os cátions polivalentes beneficiaram a atividade dos microrganismos, o que refletiu no acúmulo e estabilização do C-org na matéria orgânica do solo.

  • FRANCISCO MACIEL BARBOSA DOS SANTOS
  • Distribuição da Assembleia de Odonata em Riachos na Amazônia Legal Maranhense em Função da Variação Ambiental

  • Data: 30/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • O bioma amazônico vem sofrendo recorrente degradação e grande perda da sua biodiversidade, e ainda há muitos estudos que precisam ser feitos para saber mais sobre a sua fauna e flora. As libélulas são um pequeno grupo de insetos aquáticos classificados na ordem Odonata, são organismos sensíveis as mudanças no habitat, por isso são conhecidas como bons indicadores de condições ambientais, e são utilizadas em diversos estudos ecológicos para medir impactos causados provenientes de atividades antrópicas que causam degradação dos recursos ecossistêmicos e principalmente de recursos aquáticos. O primeiro capítulo deste trabalho estuda quais mecanismos podem influenciar a metacomunidade de Odonata em um gradiente de perda de cobertura da paisagem. O estudo visa também buscar saber se os fatores de espaço e variação no ambiente podem influenciar sobre as duas subordens de Odonata (Anisoptera e Zygoptera). O segundo capítulo avalia a resposta da diversidade de libélulas (abundância e riqueza) frente às alterações ambientais em riachos localizados na Amazônia legal maranhense, e diante dessa avaliação identificar quais os fatores que mais influenciam na riqueza e abundância das espécies amostradas. Esse estudo foi realizado em riachos localizados na bacia hidrográfica do Rio Pindaré na Amazônia legal maranhense em um gradiente ambiental que sofre com a degradação e perda da biodiversidade. Nossos resultados mostraram que espécies de Odonata apresentaram distinção de distribuição entre as duas subordens da ordem diante desse gradiente ambiental e também devido a características corporais das espécies de cada subordem. E também conseguimos perceber diferenças na riqueza e abundância nas espécies quando comparamos entre as duas subordens (Anisoptera e Zygoptera), mostrando que a abundância foi menor nas espécies da subordem Zygoptera devido a sua relação com ambientes de maior cobertura vegetal. Diante dos nossos achados são necessários monitoramentos e a preservação desses ambientes para reduzir a perda de biodiversidade aquática que os habita e principalmente das espécies que são restritas aos ambientes de maior cobertura vegetal, visto que são de grande importância.

  • ILDEANE SILVA DE OLIVEIRA
  • EFEITOS DE BACTÉRIAS PROMOTORAS DE CRESCIMENTO NO DESENVOLVIMENTO in vitro DE Stryphnodendron adstringens (MART.) COVILLE 

  • Orientador : THAIS ROSELI CORREA
  • Data: 01/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • O barbatimão, [Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville], pertencente à família Fabaceae e subfamília Mimosoidae, possui ampla distribuição no Brasil e ocorrência, no Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Esta espécie possui grande importância econômica, apresentando potencial medicinal, ao qual demonstra ser um valioso recurso biológico, a madeira pode ser empregada na construção civil e recuperação de áreas degradadas. Sua exploração é desenvolvida por meio do extrativismo, e a casca do seu caule é muito utilizada na medicina tradicional. Esse trabalho objetivou avaliar o desenvolvimento in vitro de barbatimão a partir da utilização de bactérias promotoras de crescimento em plantas (BPCPs). Para isso, o experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (T1: MS sem regulador de crescimento (aplicações de água destilada autoclavada), 2: aplicações de Bacillus methylotrophicus., T3: aplicações de Serratia marcescens, T4: aplicações de B. methylotrophicus e S. marcescens e T5: MS + 21,48 µM de ácido naftalenoacético (aplicações de água destilada autoclavada), totalizando cinco tratamentos, com seis repetições, para isso, cada frasco representou uma repetição. No experimento foram utilizadas sementes de barbatimão (Stryphnodendron adstringens), e após 15 dias de cultivo in vitro, foram realizadas aplicações de BPCPs nas plântulas. Para isso, as cepas utilizadas foram diluídas a 10-6 (Bacillus methylotrophicus e Serratia marcescens) e aplicadas duas vezes nas plântulas, aos 15 e 30 dias. Aos 30 dias de cultivo in vitro foram avaliadas número de folhas, área foliar (cm²), altura das plantas (cm), matéria fresca da raiz (g), matéria fresca da parte aérea (g), matéria seca da raiz (g), matéria seca da parte aérea (g), porcentagem de sobrevivência (%), relação raiz parte aérea, rendimento quântico máximo do fotossistema II (PSII, Fv/Fm), índice fotossintético (IF) e a densidade de centros de reação ativos do fotossistema II por unidade de fótons absorvidos (RC/ABS). Foi observado que as bactérias promotoras de crescimento tiveram efeitos positivos no crescimento de plântulas de barbatimão em condições in vitro e posterior aclimatização ex vitro. Estes resultados indicam que a propagação in vitro associada a inoculação de BPCPs (MS + B. methylotrophicus e MS+ S. marcescens) é um método viável para a produção de mudas de Stryphnodendron adstringens.

  • JAIRO DE SOUZA LAURENTINO
  • Regeneração do Estrato Herbáceo após Queimas Experimentais no Parque Nacional dos Campos Amazônicos

  • Orientador : TIAGO MASSI FERRAZ
  • Data: 30/04/2023
  • Mostrar Resumo
  • O fogo no Cerrado desempenha um importante papel na ciclagem de nutrientes e para a manutenção da diversidade e da estrutura dos habitats, mas o aumento das pressões antrópicas tem alterado significativamente os seus regimes naturais, impactando o funcionamento destes ecossistemas. O Parque Nacional dos Campos Amazônicos (PNCA) resguarda parte significativa do maior enclave de Cerrado do sul da Amazônia, áreas que são frequentemente afetadas pelo fogo e exigem muitos esforços para a sua adequada gestão. Integrando-se a uma proposta mais ampla de monitoramento dos efeitos do fogo em queimas experimentais a serem realizadas no PNCA, o presente projeto busca avaliar as respostas do estrato herbáceo em formações vegetais submetidas a queimas em distintos períodos dentro de duas zonas experimentais (Zonas A e B). Cada zona experimental possui 15 parcelas de 40x40m onde serão queimadas 6 parcelas no início da seca (mês de maio); 6 parcelas entre o meio e final da seca (mês de agosto); e 3 excluídas do fogo. Antes da aplicação destes tratamentos, mais precisamente no mês de fevereiro de 2019, foi realizado um levantamento de 8 plots permanentes de 1x1 m (distribuídos aleatoriamente) em cada parcela para em seguida colher dados de riqueza, abundância e regeneração das espécies. Em maio de 2021, dois anos após o levantemento pré fogo o dados foram colhidos novamente. Assim avaliouse os efeitos do fogo sobre a vegetação de herbáceas, visto que é o estrato principalmente atingido pelo fogo. É a primeira pesquisa a reportar um conjunto de queimas experimentais em ambientes de cerrado da Amazônia, dentro de um contexto de manejo integrado do fogo, o que permitiu avançar na compreensão das similaridades e diferenças das relações entre o fogo e a vegetação no comparativo com resultados obtidos em outras experimentações conduzidas em áreas core do Cerrado brasileiro.

  • JEMIMA CAMELO DE SOUSA
  • Índice de Clorofila e Teores de Açúcares Solúveis no Colmo de Cultivares de Sorgo no Sul do Maranhão: Uma Possível Relação com o Crescimento e Produtividade

  • Data: 27/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • O sorgo (Sorghum L. moench) é uma gramínea de origem africana sendo um dos cereais mais plantados no mundo, e, com relação à tolerância a estresses bióticos e abióticos, esta espécie é uma das mais versáteis. As informações sobre a correlação entre caracteres são de grande importância para otimizar a seleção simultânea de caracteres. Contudo, a quantificação e a interpretação da magnitude de uma correlação podem resultar em equívocos na estratégia de seleção. Por sua vez, a análise de trilha baseia-se na avaliação do efeito de uma variável independente, sobre uma variável dependente, após a remoção da influência de todas as outras variáveis independentes incluídas na análise. Assim, esta pesquisa objetivou verificar se o índice SPAD (associado a concentração de clorofilas nas folhas) e a concentração de açúcares no colmo (BRIX)(associado a um ajustamento osmótico), estão relacionados com algumas variáveis agronômicas em diferentes cultivares de sorgo cultivado no sul do estado do Maranhão. O experimento foi realizado na unidade de pesquisa agrícola da Universidade Estadual do Maranhão, localizada no município de Balsas-MA, com delineamento experimental em blocos casualizados e três repetições, sendo repetido o experimento nas safras de 2021 e 2022. Para tanto, foram utilizados dez tratamentos, sendo os tratamentos compostos pelas cultivares SUDAN 4202, AGRI 001-E, AGRI 002-E, BRS 658, BRS 810, BRS Ponta Negra, BRS 373, BR 509, BR 506 e IPA 467-4-2. As variáveis estudadas foram a altura de planta, o diâmetro do colmo, o número de folhas, a área foliar, os dias para o florescimento, ciclo (contagem de dias desde o dia da semeadura, até as plantas atingirem o estagio fenológico de grão pastoso.), o stand final, a massa fresca, a massa seca, o índice SPAD e o teor de açúcares no colmo estimado pelo indice °Brix. Para a análise de trilha, foi utilizado o software GENES. As variáveis massa fresca, diâmetro do colmo, altura e número de folhas foram eficientes no aumento da produção de sólidos solúveis (BRIX), o que indica a presença de causa e efeito.  Entre todas as variáveis analisadas, a área foliar foi a única que exerceu efeito direto sobre a principal, índice SPAD, com magnitude superior ao efeito residual. A análise de trilha mostrou ser uma ferramenta eficiente na seleção de características produtivas de cultivares sorgo associadas ao índice de clorofila e sólidos solúveis.

  • VINICIUS ROCHA DA SILVA
  • Comunidade De Besouros Escarabaeídeos (Coleoptera: Scarabaeidae: Scarabaeinae) em Diferentes Paisagens na Região da Bacia Hidrográfica do Rio Lajeado, Maranhão

  • Data: 31/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • Embora o Cerrado brasileiro seja considerado um dos hotspots de biodiversidade do mundo, conservar essa paisagem se tornou um grande desafio para cientistas e conservacionistas. Nesse bioma, a variação das condições ambientais em virtude das altas taxas de desmatamento, fragmentação e intensificação do uso da terra pode influenciar a distribuição das espécies, que apresentam associações com algumas características ambientais. Besouros escarabeíneos (Coleoptera: Scarabaeinae) são insetos sensíveis a perturbações de habitat e têm sido utilizados para monitoramento de mudanças ambientais. O objetivo deste estudo foi estudar a diversidade das comunidades de besouros escarabeíneos (padrões de composição, riqueza e abundância) frente às mudanças da paisagem (florestas de galeria, fragmentos florestais e pastagens) na região da bacia do rio Lajeado, Cerrado maranhense. A amostragem (através de armadilhas do tipo pitfall) foi realizada em 30 áreas localizadas nos municípios de São João do Paraíso, Porto Franco, Lajeado Novo, Campestre do Maranhão e Ribamar Fiquene, Maranhão, Brasil. Coletamos 2.855 escarabeíneos pertencentes a 17 gêneros, 32 espécies e 30 morfoespécies. As espécies mais abundantes foram Canthon histrio (Le Peletier & Serville, 1828) (28,12%, n = 803), Onthophagus aff. rubrescens (Blanchard, 1846) (13,6%, n = 390) e Eurysternus caribaeus (Herbst, 1789) (5,11%, n = 146). A maior riqueza e abundância de espécies foi registrada no fragmento florestal, seguido de pastagem, enquanto que a floresta de galeria teve menor riqueza de espécies, mas abundância semelhante a pastagem. A composição de espécies foi dissimilar entre os ambientes florestais e as pastagens. As espécies Canthon aff. xanthopus (Blanchard, 1846) e Deltochilum enceladus (kolbe, 1893) foram associadas aos fragmentos florestais. Canthidium aff. barbacenicum (Preudhomme de Borre, 1886), Canthon octodentatus (Schmidt, 1920), Coprophanaeus magnoi (Arnaud, 2002), Dichotomius bos (Blanchard, 1846), Dichotomius nisus (Olivier, 1789) e Pseudocanthon xanthurus (Blanchard, 1846) tiveram forte relação com as pastagens. A espécie Eurysternus caribaeus (Herbst, 1789) foi associada aos fragmentos florestais e florestas de galeria. Nossos resultados fornecem evidências de que existem distribuições e associações significativas entre as espécies de besouros e a estrutura ambiental das diferentes fitofisionomias da bacia do rio Lajeado. Diante disso, incentivamos para a gestão ambiental, o desenvolvimento de medidas que visem a preservação das áreas da região do estudo que atualmente sofrem com processos de antropização, a fim de minimizar os impactos causado nas comunidades de besouros escarabeíneos.

2022
Descrição
  • ALINE VIEIRA MASCARENHAS
  • INFLUÊNCIA DA VEGETAÇÃO ESPONTÂNEA SOBRE A POPULAÇÃO DE INSETOS EM Vigna unguiculata (L.)

  • Orientador : MÁRIO LUIZ RIBEIRO MESQUITA
  • Data: 29/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Os sistemas de produção agrícola devido à alta demanda da produção de alimentos, necessitam de estratégias sustentáveis que visem manter o equilíbrio dos ecossistemas. Para o manejo de pragas, uma alternativa é a manipulação do ambiente, utilizando plantas espontâneas que são capazes de fornecer recursos importantes para conservação de inimigos naturais. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da presença (ausência) do intervalo de capina e composição de plantas espontâneas como estratégia para conservação da diversidade de artrópodes e regulação da infestação de pragas em plantas de feijão caupi. O trabalho foi conduzido na Fazenda Escola e no laboratório de Entomologia do Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, São Luís, Maranhão. O plantio do feijão caupi foi realizado em fileiras, em uma área de 841 m2, dividida em parcelas. O delineamento foi de blocos ao acaso (DBC), com 6 tratamentos e 5 repetições. Os tratamentos foram os intervalos de capinas, sendo o T1: sem capinas, e os demais tratamento são representados por capinas após a emergência do feijão caupi, onde T2 recebeu uma capina aos 7 dias, T3 uma capina aos 14 dias, T4 uma capina aos 21 dias, T5 uma capina aos 28 dias e T6 com uma capina aos 35dias após a emergência do caupi. Foram realizadas amostragens da entomofauna tanto nas plantas de feijão como também na vegetação espontânea, onde os insetos coletados foram triados e posteriormente identificados taxonomicamente. Foi avaliado também a composição florística das plantas espontâneas, e seus dados serviram para realizar uma análise fitossociológica. Foram gerados índices de diversidade de Shannon (H’) e de riqueza de espécie (S) que foram submetidos ao teste de normalidade de Shapiro-Wilk. Também foram calculadas as abundâncias relativas (%) de cada táxon, agrupando-os segundo guilda funcional (predadores, parasitoides e fitófagos).

  • DAIANA SANTOS GOMES
  • COLONIZAÇÃO ENDOFÍTICA DE FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS EM MILHO (Zea mays) VISANDO O CONTROLE BIOLÓGICO DE Spodoptera frugiperda (Lepidoptera: Noctuidae)

  • Data: 27/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • Com a crescente necessidade de uma produção agrícola mais sustentável e a redução da dependência de agrotóxicos, surge a necessidade de aprimorar as técnicas de controle biológico e sua efetiva aplicação. Assim, a aplicação de fungos na forma endofítica é uma técnica promissora. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo selecionar isolados de fungos entomopatogênicos com alta virulência contra Spodoptera frugiperda, praga chave do milho, visando o controle desta praga via colonização endofítica de plantas com esses fungos. Dois isolados de Beauveria bassiana (LPP 129 e LPP SP1) e dois isolados de Metarhizium anisopliae (ESALQ 818 e LPP M1) foram testados quanto à virulência contra larvas de S. frugiperda via contato. Plantas de milho foram então inoculadas com conídios fúngicos por meio de pulverização foliar e a presença dos fungos em diferentes tecidos vegetais foi avaliada 7, 14, 21, 28 e 90 dias após a inoculação. Após confirmação da colonização endofítica nos tecidos foliares, folhas de milho foram oferecidas para S. frugiperda de terceiro ínstar e a sobrevivência foi monitorada por 10 dias. Parâmetros agronômicos relacionados ao crescimento das plantas também foram avaliados. Os resultados mostraram variabilidade na virulência dos quatro isolados contra larvas de S. frugiperda, em que o isolado LPPM1 foi considerado de baixa virulência, LPP 129 virulência mediana e ambos ESALQ 818 e LPP SP1 foram altamente virulentos, matando >90% das larvas em 5-6 dias. Os dois isolados mais virulentos foram utilizados para inoculação via pulverização foliar em plantas de milho. A colonização endofítica de plantas com ESALQ 818 e LPPSP1 foi eficiente em reduzir a sobrevivência de larvas de S. frugiperda que se alimentaram de folhas. Os tratamentos diferiram significativamente (P<0,0001) do grupo controle. Larvas expostas a folhas de milho colonizadas pelo fungo apresentaram sobrevivência média de 3 dias (S50), e mortalidade de 96% no 7º dia de avaliação. O grupo controle teve uma sobrevida de aproximadamente 90%. Quanto aos parâmetros agronômicos avaliados, foram observados aumentos significativos nas variáveis comprimento da raiz, diâmetro do caule, altura da planta, área foliar e número de folhas. dias após a inoculação. Plantas colonizadas com fungos na forma endofítica mostraram-se eficientes e virulentas contra larvas de S. frugiperda, além de causar efeitos positivos no crescimento vegetal, indicando o potencial da colonização endofítica para estratégias de controle biológico.

  • JOELSON GOMES DE OLIVEIRA
  • ATIVIDADE ACARICIDA, REPELENTE E ANTI-HELMÍNTICA DO ÓLEO ESSENCIAL DE Lippia origanoides KUNTH "QUIMIOTIPO CÂNFORA" SOBRE Rhipicephalus (Boophilus) microplus, Haemonchus contortus e Caenorhabditis elegans

  • Orientador : JOSÉ ROBERTO PEREIRA DE SOUSA
  • Data: 10/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • Um dos maiores desafios para os pecuaristas da atualidade está associada a busca de produtos eficazes no controle de parasitas em rebanhos de bovinos, caprinos e ovinos. Porém, populações de ectoparasitas e endoparasitas acabam criando resistência a medicamentos devido a substâncias químicas presentes em suas composições, como também influenciam na qualidade dos produtos derivados dos animais. Nesse sentido, a busca de métodos alternativos encontrados em produtos naturais vem crescendo bastante nas últimas décadas. Desta forma o presente estudo tem como objetivo avaliar a atividade in vitro do óleo essencial de Lippia origanoides "Quimiotipo Cânfora" em carrapatos da espécie Rhipicephalus (Boophilus) microplus e em Helmintos das espécies Haemonchus contortus e Caenorhabditis elegans. Para isso, folhas frescas de Alecrim-pimenta (L. origanoides) foram obtidas de plantas adultas de ocorrência natural no município de Montes Altos, Maranhão, Brasil. O óleo essencial foi extraído das folhas de L. origanoides por meio de hidrodestilação e a análise dos constituintes químicos foi realizada por cromatografia gasosa (CG-EM). Para a avaliação da atividade carrapaticida sobre R. (B.) microplus foi realizado o Teste de Imersão Larval utilizando concentrações do óleo essencial de L. origanoides variando de 10 a 0,40 mg/mL em solução de 1% etanol + 0,02% Triton, onde obteve-se Concentração Letal 50% (CL50) de 7,48 mg/mL. Para a avaliação da atividade repelente sobre R. (B.) microplus foi realizado o Teste de Repelência Vertical em concentrações que variaram de 1,25 a 0.001 mg/mL e para o controle positivo foi utilizado N,N-Dietil-m-toluamida (DEET) em diferentes tempos, obtendo-se para L. origanoides Concentração de Repelência 50% (RC50) de 0,5844 mg/cm² (10min), 0,101 mg/cm² (20min) e 0,310 mg/cm² (30min). Para a espécie H. contortus foi realizado o Teste de Eclodibilidade de Ovos onde ovos de H. contortus foram contados e distribuídos em placas de 96 poços, na proporção de 100 ovos por poço. Foram utilizadas concentrações do óleo essencial variando de 10 a 0,005 mg/mL em Tween 3%, obtendo-se uma CL50 de 0,67 mg/mL. Para a espécie C. elegans foi realizado o teste de mortalidade de adultos foram utilizadas concentrações do óleo essencial variando de 10 a 0,005 mg/mL em placas de 96 poços contendo 100 µL de M9, obtendo-se uma CL50 de 2.23 mg/mL. As Concentrações Letais e Concentrações de Repelências dos testes realizados confirmaram a atividade acaricida, repelência e nematicida do óleo essencial de L. origanoides e sua eficácia contra R. (B.) microplus, H. contortus e C. elegans.

  • KALYNE PEREIRA MIRANDA NASCIMENTO
  • Indicadores Químicos do Solo do Trópico Úmido que Determinam a Produtividade das Culturas.

  • Data: 21/10/2022
  • Mostrar Resumo
  • Nos solos dos trópicos úmidos, especificamente no norte do Maranhão, a matéria orgânica do solo (MOS) e a soma de cátions básicos como cálcio (Ca), magnésio (Mg) e potássio (K), são uns dos principais indicadores de qualidade do solo para avaliar sustentabilidade e viabilidade nos agroecossitemas. Portanto, o objetivo deste trabalho foi identificar os indicadores químicos no solo do trópico úmido que correlacionam com a produtividade do milho e que podem contribuir para a intensificação ecológica da agricultura na região. O experimento foi conduzido na comunidade de Santa Rita do Vale, no município de Santa Rita, região norte do estado do Maranhão, Brasil. O experimento consistiu na avaliação de duas áreas com o tamanho de 1.680 m2 cada uma, foram avaliados 24 pontos em cada profundidade, 24 pontos de (0-15 cm) e 24 pontos (15-30 cm). A fim de avaliar os atributos Ca, Mg, K, P, MOS, COT, COP, COAM e ECOT, foram coletadas quatro amostras de solo por ponto, cada repetição com uma distância de dois metros para o ponto central, para formar uma amostra composta. O rendimento do milho foi amostrado em uma área de 4 m2 (2m x 2m) ao redor de cada ponto de amostragem. A produtividade do milho apresentou correlações positivas com as variáveis COAM, Ca, Mg, Ca+Mg e P, nas duas profundidades do solo. Exceto o K que apresentou correlação positiva com a produtividade apenas na profundidade de 15-30 cm. As variáveis MOS e COAM apresentaram correlação positiva com os cátions (cálcio e cálcio+magnésio) na camada de 0-15 cm do solo. Na camada de 15-30 cm do solo apenas o COAM apresentou correlação positiva com o cálcio e cálcio+magnésio. No geral, na profundidade de 0-15 cm do solo, a produtividade apresentou correlação positiva com os indicadores, COAM, Mg, Ca+Mg, Ca e K e correlacionaram negativamente com COP. A relação média do COAM:argila na profundidade de 0-15 cm foi de (1:8,56). Na profundidade de 15-30 cm a relação média de COAM:argila foi de (1:8,67). Os indicadores químicos que determinam a produtividade do milho são, o carbono orgânico associado aos minerais, magnésio, cálcio e cálcio+magnésio, potássio e fósforo. A MOS e COAM apresentaram interações com cálcio e cálcio+magnésio. A relação COAM:argila na profundidade de 0-15 cm foi de 1:8,34 e na profundidade 15-30 cm de 1:8,76, considerando o solo de qualidade estrutural boa. Determinamos que o valor crítico de cálcio é de 20 mmolc dm-3 e de COAM de 15 g kg-1 para a profundidade de 0-15 cm e na profundidade de 15-30 cm o valor crítico de cálcio é de 20 mmolc dm-3 e de COAM de 15 g kg-1.

  • KIRA FIGUEREDO ALVES
  • Impactos Causados por Alterações Antrópicas em Solo sob Diferentes Manejos no Cerrado Maranhense

  • Data: 28/01/2022
  • Mostrar Resumo
  • O Cerrado configura-se como a última fronteira agrícola do Brasil e tem sua biodiversidade ameaçada pela degradação de pastagens extensivas. O objetivo desse estudo foi avaliar os atributos químicos, físicos e biológicos em área de pastagem extensiva (PE), pastagem abandonada (PA) e floresta (FL) no Cerrado Maranhense, para mensuração dos impactos antrópicos. Em delineamento experimental, inteiramente casualizado, com três áreas e cinco repetições, os atributos avaliados, nas profundidades de 0-5 cm, 5-10 cm, 10-20 cm e 20-30 cm, foram: densidade do solo (DS), porosidade total (PR), umidade com base em massa (UMM), umidade volumétrica (UMV), resistência mecânica à penetração (RSP) e a velocidade básica de infiltração (Vib), o potássio (K+), cálcio (Ca+2), magnésio (Mg+2) e alumínio (Al+3) trocáveis, fósforo (P), potencial hidrogeniônico (pH), acidez potencial (H+Al), matéria orgânica (M.O.), estoque de carbono orgânico (ECO), soma de bases (SB), capacidade de troca de catiônica efetiva (t), capacidade de troca catiônica a pH 0,7 (T), saturação de bases (V) e saturação de alumínio (m), serapilheira e macrofauna. Os resultados foram comparados por ANOVA e diferença de médias por Tukey (p&gt;0,05), com Principal Component Analysis (PCA) como análise complementar para os atributos químicos. Os usos do solo PA e PE mostraram-se positivamente correlacionados com o complexo sortivo, enquanto FL correlacionou-se positivamente com os ídices de acidez. Houve interação significativa entre usos do solo e profundidade somente para os atributos químicos Al+3, m, M.O. e P e ECO com área de PA sobressaindo-se aos demais tratamentos em superfície. Para os atributos físicos, apenas RSP apresentou diferença estatística, com a maior resistência em PA a 5-10 cm, e maior resistência em FL sob profundidade. As menores médias de RSP foram observadas em PE. Não houve diferença estatística entre as densidade e riqueza de indivíduos para macrofauna, nos usos do solo avaliados, porém a maior abundância de Hymenoptera e Blattodea foi observada em FL.

     

  • NATANNAEL CASTRO VILHENA
  • ATRIBUTOS DO SOLO E PRODUÇÃO DE FORRAGEM EM SISTEMA AGROSSILVIPASTORIL ADUBADO NO ECÓTONO AMAZÔNIA-CERRADO

  • Data: 21/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Níveis adequados de suplementação nitrogenada em sistemas Agrossilvipastoris, podem proporcionar ganhos mútuos entre os componentes do sistema. Objetivou-se avaliar os atributos do solo e composição química do capim Megathyrsus maximus cv. Massai em sistema agrossilvipastoril. O experimento foi estabelecido no ano de 2017 em 3 ha com o plantio do massai (Megathyrsus maximus Jacq. cv. Massai) em consórcio com o milho (Zea mays L.) entre fileiras duplas de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth), no espaçamento de 30 × 3 × 2 m, e o babaçu (Atallea speciosa Mart.). O delineamento experimental foi casualizado em blocos com três repetições. Cada bloco de 1 ha, foi subdividido em quatro piquetes de 0,25 ha, com média de 35 palmeiras de babaçu/ha e 276 árvores de sabiá/ha. Os tratamentos foram 0, 100, 200 e 400 kg ha-1 ano-1 de nitrogênio (N), as adubações foram com ureia. Foram utilizados novilhos anelorados, com peso corporal (PC) médio inicial de 200 ± 35 kg, segundo técnica put-and-take, permanecendo dois animais testes por piquete, e animais de ajustes de acordo com a disponibilidade de forragem [2 kg matéria verde seca (MVS) kg PC-1 ]. Foram realizadas duas coletas de solos (ago/2020 e julho/2021). A avaliação dos atributos do solo foi realizada em cinco distâncias (0; 3,5; 7,0; 10,5 e 14 m) perpendiculares às fileiras duplas de sabiá. Foram abertas minitrincheiras (30 x 30 x 30 cm) para coletar das amostras indeformadas nas profundidades de 0 ±10, 10 ±20, 20 ± 30 cm, e analisadas a densidade, macroporosidade, microporosidade e porosidade total. Amostras deformadas nas mesmas profundidades no sentido perpendicular às minitrincheiras foram coletadas para análise química solo (P, K+, Mg+2 e Ca+2). A avaliação do massai foi realizado de jun/2021 a fev/2022 a cada 28 dias, e determinado a massa de forragem total (MFT) porcentagem de forragem verde (%FV) e senescente (%FS), altura e densidade da forragem (DF), proteína bruta da forragem verde (PBFV) e senescente (PBFS), matéria mineral da forragem verde (MMFV) e senescente (MMFS); fibra em detergente neutro da forragem verde (FDNFV) e senescente (FDNFS); fibra em detergente ácido da forragem verde (FDAFV) e senescente (FDAFS), lignina da forragem verde (LIGFV) e senescente (LIGFS). Utilizou-se o programa Proc Mixed do SAS e as médias de cada tratamento foram comparadas por meio do teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade. A distância do componente arbóreo não influenciou de forma significativa (P<0,05) os atributos físicos do solo, no entanto, houve diferença (P<0,05) para microporosidade, os tratamentos 0 e 100 Kg N ha-1 ano-1 apresentaram valores 11,2% a mais que os demais tratamentos. Para os atributos químicos do solo, não houve diferença (P<0,05) entre os tratamentos, já as profundidades diferiram, a camada superficial (0-10 cm), foram 31%, 8,82% e 23,53% de P, Ca2+ e k+ respectivamente superior às demais camadas avaliadas. O ano 2020 apresentou menores concentrações de P, Mg+2 e K+ na interação de fertilização e distâncias. A massa de forragem não foi influenciada pelos níveis de adubação (variação de 2128 Kg N ha-1 ano-1 a 2203 Kg N ha-1 ano-1. Menor porcentagem de forragem verde (51,50%) e maior de senescente (48,89%) foi observado no tratamento sem adubação. As porcentagens de MM, PB, FDN e LIG não foi influenciada pela adubação. Janeiro de 2022 apresentou maior valor de MM (17,54% a mais), LIG também foi maior neste mês (31,07% a mais, juntamente com os meses de agosto e outubro de 2022. Menor valor de PB foi em julho de 2021 (24,43% inferior). FDN foi maior em agosto de 2021 e fevereiro de 2022 (15% e 12,15% superiores respectivamente. Os sistemas agrossivilpastoris sob adubação nitrogenadas, melhora as condições físicas e químicas do solo, proporcionando a formação de macroagregados. Já os atributos químicos apresentam resultados relevantes, porém requer mais tempo para serem observados. A adubação nitrogenada influenciou positivamente na produção de MSV em sistemas agrossivilpastoris, bem como no teor de proteína bruta da forragem, sendo os tratamentos com maiores aplicações de proteína, apresentou maiores concentrações na forragem.

  • NILDO DUARTE CRUZ
  • EFICIÊNCIA DE FILTROS ORGÂNICOS COM BIOMASSA NA REMOÇÃO DE ÍONS DE Cu2+, Cd2+, Zn2+ E Mn2+ EM ÁGUA RESIDUÁRIA PROVENIENTES DE TANQUES DE PISCICULTURAS

  • Data: 29/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • A psicultura é uma importante atividade econômica que além de gerar renda, produz alimento rico em proteína, porém pode ser uma fonte poluidora, devido à presença de metais potencialmente tóxicos em seus resíduos, esses metais potencialmente tóxicos quando encontrados em elevada concentração contaminam solos e corpos d’aguas receptores desses efluentes provocando diversos problemas ambientais. O processo de biossorção vem se mostrando eficaz para tratar esses efluentes. Este trabalho tem como objetivo avaliar o potencial biossortivo da biomassa obtida do caroço do açaí (Euterpe oleracea) e do epicarpo do cupuaçu (Theobroma grandiflorum) na forma de carvão ativado com solução ácida de ácido clorídrico em filtro no tratamento desse efluentes. As biomassas foram caracterizadas pelas seguintes variáveis químicas: pH em água, pH em KCl, ponto de carga zero e determinação de grupos ácidos e básicos presente na superfície. Primeiramente foi realizado um ensaio em coluna de leito fixo, com água destilada, até que houvesse a saturação dos biossorventes, após esse processo foi iniciado o ensaio de biossorção. O sistema de filtragem foi mantido em fluxo contínuo até que houvesse a saturação dos biossorventes, o efluente foi recolhido após a obtenção de um volume de 50 mL e armazenado em frascos de cor escura para a determinação das concentrações das espécies metálicas Cu2+, Cd2+, Zn2+ e Mn2+ por Espectrometria de Absorção Atômica por Chama (FASS). O ensaio realizado observou eficiência considerável das biomassas na remoção das espécies metálicas investigadas.

  • RAIANARA ANDRADE DOS SANTOS
  • ADAPTABILIDADE, ESTABILIDADE E COEFICIENTE DE REPETIBILIDADE EM ENSAIOS DE SORGO NO CERRADO SUL MARANHENSE

  • Data: 16/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Existem diversas metodologias disponíveis para analisar a interação GxE e a escolha dependerá de uma série de fatores. Os métodos GGE Biplot e REML/BLUP vem sendo utilizados conjuntamente para investigar a interação em várias culturas anuais, entretanto não há relatos para sorgo. Diante disso, objetiva-se avaliar a adaptabilidade e estabilidade de genótipos de sorgo visando a produção de biomassa no cerrado sul maranhense pelo método REML/BLUP e GGE biplot. Os ensaios foram conduzidos em Balsas – MA na segunda safra de 2021 e de 2022, dispostos em DBC com três repetições e dez tratamentos, sendo eles as cultivares: Sudão, AGRI 001-E, AGRI 002-E, BRS 658, BRS 810, BRS Ponta Negra, BRS 373, BR 509, BR 506 e IPA 467-4-2. Foram avaliadas a produção de matéria verde e matéria seca em t ha-1. A significância do modelo foi estimada pela análise de deviance. As estimativas dos componentes de variância foram determinadas pelo procedimento REML (Restricted Maximum Likelihood) e adaptabilidade e estabilidade dos genótipos foram determinadas pelo procedimento BLUP (Best Linear Unbiased Prediction) sob médias harmônicas e pelas técnicas de GGE biplot. Para análise sob médias harmônicas foi utilizado o programa SELEGEN REML/BLUP. Para análise GGE biplot foi utilizado o software estatístico R. Por meio da avaliação simultânea de produtividade, estabilidade e adaptabilidade (MHPRVG) os genótipos BRS Ponta Negra, AGRI 002-E, BRS 506 e BRS 509 se mantiverem entre as primeiras posições no ordenamento demostrando maior adaptabilidade, estabilidade e produtividade. Por meio do GGE biplot foi possível identificar quatro genótipos com desempenho acima da média dos ambientes, sendo eles G6 (BRS Ponta Negra), G9 (BRS 506), G3 (AGRI 002-E) e G2 (AGRI 001-E), todavia, o G9 e G2 tiveram alta instabilidade. Desta forma, para as condições ambientais de Balsas-MA e considerando-se ambas metodologias em estudo a cultivar BRS Ponta negra demonstrou ser a cultivar com maior potencial para recomendação, seguida das cultivares AGRI 002-E e BRS 506.

  • RAYANE CRISTINE CUNHA MOREIRA
  • FUNGOS ENTOMOPATOGÊNICOS SOBRE Euschistus heros (FABRICIUS, 1974) (HEMIPTERA, PENTATOMIDAE) E O PARASITOIDE DE OVOS Telenomus podisi (ASHMEAD, 1893) (HYMENOPTERA: SCELIONIDAE)

  • Orientador : JOSEANE RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 28/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • O percevejo-marrom, Euschistus heros (Fabr., 1974) (Hemiptera, Pentatomidae) é considerado uma das praga-chaves mais importantes da soja e tem o controle químico como o principal método de manejo. Contudo, com os diversos problemas que o controle químico pode causar, o uso da associação de agentes de controle biológico como fungos entomopatogênicos e o parasitoide de ovos, Telenomus podisi (Ashmead, 1893) (Hymenoptera: Scelionidae) nas lavouras de soja podem ser uma alternativa sustentável. Nesse sentido, o objetivo da pesquisa é avaliar fungos entomopatogênicos que sejam eficientes nas fases de desenvolvimento de E. heros (ovo, 3 ° instar ninfal e adulta) de modo que não afetem o parasitismo realizado por T. podisi. Os isolados fúngicos entomopatogênicos utilizados foram das espécies de Metarhizium anisopliae (CG 168, IBCB 425) e Beauveria bassiana (LPP 129, LPP SP1). A pesquisa foi realizada nos laboratórios de Entomologia e Fitopatologia da Universidade Estadual do Maranhão, Campus São Luís, MA. Os insetos utilizados nos experimentos foram provenientes de criação mantida no laboratório de Entomologia e os isolados fúngicos entomopatogênicos foram adquiridos do Instituto Biológico de São Paulo, Embrapa Arroz e Feijão e Universidade Estadual do Norte Fluminense. Os isolados entomopatogênicos foram cultivados em meio batata-dextrose-ágar (BDA) por 15 dias e posteriormente multiplicados em arroz parboilizado utilizado como substrato. Após a multiplicação, foi preparada as suspensões dos isolados fúngicos a uma concentração de 1 × 108 conídios viáveis/mL+ 0,01% de Tween 80® a partir da lavagem do arroz. As suspensões foram usadas nos dois experimentos, o de patogenicidade e virulência de isolados sobre o percevejo-marrom e o de seletividade de M. anisopliae em T. podisi. No primeiro experimento, 50 ovos, 25 ninfas de terceiro instar e 25 casais de E. heros foram tratados com as suspensões fúngicas. No segundo experimento, dois bioensaios foram montados usando-se 50 ovos não parasitados (pré-parasitismo) e parasitados (pós-parasitismo) fixados com cola branca em cartela de cartolina (n=20) tratados com 2,5 mL das suspensões de M. anisopliae (CG 168 e IBCB 425). Os ovos de E. heros foram suscetíveis aos isolados CG 168 e IBCB 425. Todos os isolados foram patogênicos para ninfas de 3° instar, sendo os isolados LPP 129 e CG 168 mais virulentos com uma taxa de mortalidade de 82% e 86%, respectivamente em até quatro dias. A proporção da viabilidade de ninfas de 4° instar foi maior nos isolados IBCB 425 (0,62) e LPP S1 (0,79). Os tratamentos Tween 80® (16,30) e LPP 129 diminuíram o número de ovos das fêmeas. Os isolados IBCB 425 e LPP S1 aumentaram o número de posturas das fêmeas de E. heros. O isolado CG 168 ocasionou mortalidade de 96% em adultos de E. heros em sete dias. O parasitoide T. podisi parasita e se desenvolve em ovos de E. heros previamente tratados e não tratados com M. anisopliae, sendo o isolado IBCB 425 seletivo para o inimigo natural de E. heros. Conclui-se que todos os isolados foram patogênicos para E. heros nas fases de ninfas 3° instar de instar e adulta, entretanto com diferentes níveis de virulência. O parasitoide de ovos, T. podisi parasita e se desenvolve em ovos de E. heros previamente tratados e não tratados com M. anisopliae; O isolado M. anisopliae CG 168 foi eficiente no controle de E. heros em todas as fases de desenvolvimento (ovos, ninfas de 3° instar e adulta), não sendo seletivo ao T. podisi por comprometer o desenvolvimento do parasitoide. O isolado M. anisopliae IBCB 425 foi eficiente no controle de ovos e adultos de E. heros e seletivo para o parasitoide de ovos T. podisi em ovos de E. heros.

  • THAÍS LIMA FIGUEIREDO
  • Potencial de Leguminosa Arbórea e Adubação Nitrogenada em Sistema Agrossilvipastoril, no Trópico Úmido-MA

  • Orientador : LUCIANO CAVALCANTE MUNIZ
  • Data: 14/02/2022
  • Mostrar Resumo
  • Apresença de leguminosas arbóreas com potencial de fixação biológica de nitrogênio pode aumentar a produlão de forragem e diminuir a dependência por insumos químicos em sistemas agrossilvipastoris. Objetivou-se quantificar a biomassa e nutrientes do capim massai e da sabiá e estimar a abundância natural de δ13C e δ15N via leguminosa arbórea sob diferentes níveis de adubação nitrogenada em sistema agrossilvipastoril, no trópico úmido maranhense. O experimento foi conduzido na Unidade de Referência Tecnológica (URT) em Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) da Empresa brasileira de pesquisa agropecuária (EMBRAPA), unidade Cocais, no município de Pindaré Mirim – MA, Brasil. O experimento foi estabelecido no ano de 2017 em 3 ha com o plantio do massai (Megathyrsus maximus cv. Massai) em consorcio com o milho (Zea mays L.) entre fileiras duplas de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth) no espaçamento de 30 x 3 x 2 m. O delineamento experimental foi casualizado em blocos com três repetições. Cada bloco de1 ha, foi subdividido em quatro piquetes de 0,25 ha. Os tratamentos foram 0, 100, 200 e 400 Kg/ha/ano de N. As adubações foram realizadas com ureia, no período chuvoso. Foram utilizados novilhos da raça nelore,com peso médio inicial de 200 ± 35 kg, adotando o método de pastejo contínuo com taxa de lotação variável, segundo a técninca do put-and-take., permanecendo dois animais testes por piquete, e animais de ajustes de acordo com a disponibilidade de forragem. Nas árvores foram avaliadas as variáveis dendrométricas (stand de plantas, comprimento do fuste (CF), diâmetro na base (DB), diâmetro na altura do peito (DAP), altura de Lorey (hL) e Volume), biomassa aérea total (folhas e galhos), densidade básica na base (0,5 m) e na altura do peito (1,3 m), composição química (matéria seca (MS), matéria mineral (MM), matéria organica (MO), proteina bruta (PB), nitrogenio (N), carbono (C), relação C:N, Fibra em detergente neutro (FDN), fibra em detergente ácido (FDA) e abundância Natural de δ13C e δ15N, e nitrogênio derivado do ar (Ndda). O desempenho animal foi avaliado por meio da taxa de lotação (TL), ganho médio diário (GMD), ganho médio por área (GPA) e a forragem por meio da massa de forragem total (MFT), porcentagem de forragem verde (%FV) e senescente (%FS), densidade da forragem (DF), proteína bruta da forragem verde (PBFV) e senescente (PBFS) e matéria mineral da forragem verde (MMFV) e senescente (MMFS). Utilizou-se o programa Proc Mixed do SAS e as médias de cada tratamento foram comparadas por meio do teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade. Não houve diferença significativa (P>0,05) entre os níveis de adubações para as variáveis dendrométricas, biomassa área total, densidade básica, composição quimica e δ13C, mas houve diferença (P<0,05) entre os períodos de avaliações. O stand reduziu de 180 a 165 plantas/ha, entre a primeira e segunda avaliação respectivamente. O CF (5 para 7 m); DB (8 para 9 cm); DAP (6 para 7 cm); hL (5 para 7 m); volume (0,5 para 0,9 m3); biomassa na fração folhas (23 para 206 kg.ha-1); biomassa nos galhos com circunferência <4,9 cm (675 para 996 kg.ha-1); com circunferência 5-10 cm (696 para 1.164 kg) e com circunferência >10 cm (aumento de 2014 para 3716 kg) foram maiores na segunda avaliação. A densidade básica na base e na altura no peito variou de 0,7 e 0,5 g/cm³, na primeira avaliação para 0,79 e 0,72 (g/cm³, na segunda avaliação. Na composição química das folhas, as concentrações de MM, N e PB foram maiores no segundo período de avaliação com 108; 26 e 165 g kg-1, em relação a primeira (65, 19 e 129 g kg-1 respectivamente). A relação C:N (25) foi maior na primeira avaliação comparada a segunda (13). Na fração galho < 4,9 cm, os teores de MS, MM e C:N foram maiores na primeira avaliação com 46,47; 492,0 e 74 g kg-1, em relação a segunda (36, 27 g kg-1 e 56), enquanto a MO e N (973 e 8 g kg-1 respectivamente) foram maiores na segunda avaliação comparada com a primeira (952 e 6 g kg-1 respectivamente). Na fração galho 5 -10 cm a MS e C:N foram maiores na primeria avalição com 52 g kg-1 e 77 do que na segunda (42 g kg-1 e 62 respectivamente), e o N maior na segunda avaliação com 7,2 g kg-1. Na fração galho >10, houve significância para variáveis, as concentrações de MM, MO e N com 20; 980; 7 g kg-1 respectivamente foram maiores na segunda avaliação compara a primeira (15, 985 e 6 g kg-1 respectivamente). O δ13C não diferiu entre os níveis de adubações, mas o δ15N foi maior nos tratamentos de 200 e 400 kg/N/ha/ano com 1,04 e 1,73 ‱ respectivamente, o Ndda foi maior nos tratamento de 0 (76,77%) e 100 (56,84%) kg/N/ha/ano. Não houve diferença significativa (P>0,05) entre os níveis de adubações para o desempenho animal (TL, GMD e GPA), MFT, %FV, %FS e composição química. Entre os períodos de avaliações houve significância (P<0,05) paras todas as variáveis, a TL variou de 3,4 a 5,1 Ua há entre junho/2020 e fevereirro/2021. O GMD e GPA foram maiores nos períodos com maior precipitação pluviométrica variaram de 0,03 e 0,1 para 0,75 e 3,4 nos meses de agosto/2020 e abril/2021 respectivamente. A MFT variou de 552 (agosto/2020) a 2216 kg/ha (fevereiro/2021). A %FV nos meses de novembro e dezembro/2020 e janeiro e março/2021 foi superior aos demais meses, atingindo 87, 94, 81,86%, em contrapartida, %FS foi superior nos meses de agosto, setembro e outubro com 64, 62, 70%. A DF variou de 14 (dezembro/2020 ) a 84 a kg de MS ha-1 cm-1 (fevereiro/2021). As concentrações de PBFV variram de 83 (outubro/2020) a 118 g kg-1 (março/2021), enquanto que a PBFS diferiu apenas em junho/2020 com 47 g kg-1. A MMFV diferiu apenas no mês de março e abril/2020 com 124 e 127 g kg-1, e a MMFS foi menor nos meses de nov/2020 e jan/2021. A adubação não diferiu na produção de forragem e desempenho animal. No sistema agrossilvipastoril os diferentes níveis de adubação nitrogenada não influenciaram a dendrometria, biomassa área, densidade básica e composição química da sabiá. A fixação biológica de N da sabiá no sistema agrossilvipastoril foi maior nos níveis de 0 e 100 kg de N ha-1 ano-1. A inclusão de leguminosas arbóreas em pastagens de massai resultou em acréscimos significativos dos teores de PB do pasto.

2021
Descrição
  • ALLISON DANIEL FERNANDES COELHO SOUZA
  • Cultivo in vitro de Barbatimão: Planta Nativa com Propriedades Medicinais.

  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • A Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville, de nome popular barbatimão, é uma planta nativa do cerrado brasileiro com destaque na medicina fitoterápica devido às propriedades medicinais atribuídas pelos metabólitos secundários presentes na espécie. Neste estudo objetivou-se verificar a influência do meio de cultivo na germinação e produção de ácidos fenólicos e flavonóides do barbatimão, utilizando a técnica de propagação in vitro, e os resultados comparados ao cultivo em condições de casa de vegetação. No primeiro experimento, sementes de barbatimão obtidas por doação e conservadas em condições assépticas foram germinadas em condições de casa de vegetação (controle) e in vitro utilizando como meios de cultivo: MS + 100 mg L-1 de mio-inositol + 30 g L-1 de sacarose + 6,5 g de ágar-ágar (T1); Água destilada + 30 g L-1 de sacarose + 6,5 g de ágar-ágar (T2); MS + 11,09 μM de 6-benzilaminopurina (BAP) + 0,54 μM de ácido naftaleno acético (ANA) (T3); MS +1,44 μM de ácido giberélico (GA3) + 0,54 μM de ANA + 100 mg L-1 de mio-inositol + 30 g L-1 de sacarose + 6,5 g L-1 de ágar-ágar (T4); MS + 11,09 μM BAP + 0,54 μM ANA + 100 mg L-1 de mio-inositol + 6,5 g L-1 de ágar-ágar + 1 g L-1 de carvão ativado (T5). Após 60 dias de germinação, foram avaliadas as variáveis número de folhas (NF, unidades), altura da parte aérea (APA, cm), comprimento da maior raiz (CR, cm), diferença entre massa fresca e seca da parte aérea (MPA, g), diferença entre massa fresca e seca da raiz (MR, g) e largura média das folhas (LF, cm). Os dados foram submetidos ao teste de Dunnet a 5% de possibilidade. No segundo experimento, foram obtidos os extratos metanólicos (hidromódulo 1:8) das folhas do barbatimão para os tratamentos controle e T1 a T5, e em seguida obtidos os perfis cromatográficos a partir das leituras dos extratos por meio de cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC-PDA), onde foram verificados os picos representativos dos espectros no UV para ácidos fenólicos e flavonóides. Os resultados obtidos indicaram diferenças entre os tratamentos para as variáveis APA, CR e MR, onde o tratamento in vitro T5 foi superior no desenvolvimento da parte aérea e no comprimento radicular das plântulas. Os dados obtidos para a variável MR mostraram que os tratamentos in vitro não foram eficientes para a produção de massa radicular comparados ao controle. O tratamento T5 foi superior na produção de ácidos fenólicos e flavonóides comparados aos demais tratamentos in vitro, com resultados próximos ao controle, indicando resultados promissores para a produção de metabólitos secundários de interesse medicinal em condições homogêneas e de baixo impacto ambiental no barbatimão.

  • CÉLIO PEREIRA CONCEIÇÃO DA SILVA
  • Eficiência da Brachiaria (Urochoa brizanta) associada a fungos micorrizos arbusculares como potencial para fitorremediação de solos contaminados com zinco, manganês e cobre

  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O uso de fertilizantes e outros agrotóxicos para suprir as exigências nutricionais das culturas e aumentar a produção, tem gerado, em alguns casos, incremento de centenas de toneladas de metais potencialmente tóxicos ao solo contribuindo desta forma para o empobrecimento do mesmo. Entretanto algumas espécies de plantas são capazes de sobreviver e adaptar-se em ambientes contaminados com metais potencialmente tóxicos, além de remover grandes quantidades de poluentes, caracterizando-se como plantas fitorremediadoras. Experimental utilizado foi inteiramente casualizado (DIC) em fatorial 5x2, sendo 5 doses das espécies metálicas na forma de sais P.A. (0, 10, 20, 40 e 80 mg kg-1) e 2 inoculações de FMA (sem e com FMA), totalizando 10 tratamentos com 4 repetições, resultando em 40 unidades experimentais. Os solos foram incubados com as espécies metálicas investigadas na forma de sais P.A nas doses 0, 10, 20, 40 e 80 mg kg-1. A determinação da percentagem de matéria orgânica foi feita por calcinação a 550°C. Na determinação da capacidade de troca catiônica foiutilizado o método proposto por Cotta et al. (2006). Foram também determinados os parâmetros: altura de planta, comprimento de raiz, índice de clorofila, matéria fresca da parte aérea, matéria seca da parte aérea, matéria seca de raiz, % de colonização radicular e absorção de fósforo, nitrogênio e potássio. A extração de metais biodisponível do solo antes e após o plantio foi feita utilizando-se solução extratora de HCl 1 mol L-1. Os dados foram submetidos à análise de variância utilizando o programa estatístico R e a comparação das médias foi realizada utilizando o teste de Tukey a 5% de probabilidade. A Urochiloa brizantha apresentou um bom desenvolvimento em solo contaminado com as diferentes dosagens dos metais pesados. O solo apresentou baixa percentagem de matéria orgânica, caracterizando-se como um solo inorgânico. O metal que representou mais biodisponibilidade foi o Zn2+ com 473,867 mg kg-1 na dopagem e 80 mg kg-1 seguido pelo Mn2+ com 190,508 mg kg-1 na dopagem de 10 mg kg-1 e o que menos se encontrou biodisponível foi o Cu2+ com 2 mg kg-1. Observou-se ainda que nas dopagens de 20 e 40 mg kg-1 o F.M.A influenciou na complexação do metal no solo fazendo com que este lixiviasse uma menor concentração dos metais.

  • JULIANA DE PAULA ALVES
  • Morfofisiologia do Abaxaxizeiro CV. Pérola em Cultivo Fotomixotrófico in vitro e em Condição ex vitro

  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O abacaxi (Ananas comosus) é uma fruta consumida mundialmente e representa uma fonte de emprego e renda para vários países. Para atender a demanda por frutos, é necessário sempre ter uma oferta intensa de mudas. A micropropagação é uma técnica utilizada para aumentar a produção e a qualidade de mudas em menor tempo. Assim, esta pesquisa teve como objetivo verificar se o ambiente fotoautotrófico/fotomixotrófico pode propiciar, nos explantes, otimização da capacidade fotossintética e crescimento, por meio da redução na concentração da sacarose no meio de cultivo, otimização das trocas gasosas e elevação da radiação fotossinteticamente ativa (RFA). O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado (DIC), esquema fatorial 2x4, sendo dois tipos de vedação (tampas com as membranas permeáveis a gases e sem esta membrana) e quatro concentrações de sacarose (0, 10, 20 e 30 g L-1), totalizando 8 tratamentos, com cinco repetições cada. A unidade experimental foi composta por um frasco contendo 3 plantas. Após 90 dias de cultivo in vitro, foram avaliados o comprimento da parte aérea (CPA, cm), número de folhas (NF), comprimento da maior raiz (CMR, cm), área foliar (AF, cm2), massa foliar específica (MFE, g m-2), massa fresca e seca da parte aérea e radicular (MFPA, MSPA, MFR, MSR, g, respectivamente), massa seca total (MST, g), partição de fotoassimilados para raiz (PFR, %), partição de fotoassimilados para a parte aérea (PFPA, %), relação massa seca parte aérea por massa seca da parte radicular (MSPA/MSPR), rendimento quântico máximo do fotossistema II (PSII, Fv/Fm), o “Photosynthetic Index” (índice fotossintético) (IF), a densidade de centros de reação ativos do PSII por unidade de fótons absorvidos (RC/ABS), taxa fotossintética líquida (A, μmol CO2 m-2 s-1), índice SPAD, pigmentos fotossintéticos (clorofila a, b, total, carotenoides, clorofila a/b, clorofila (a+b)/carotenoides (μg mm-2) e índice estomático (%). Ao final dos 90 dias de cultivo in vitro, cinco plantas de cada tratamento foram aclimatizadas em casa de vegetação. Durante a aclimatização, foram avaliadas a taxa fotossintética líquida (A), o rendimento quântico máximo do fotossistema II (PSII) (Fv/Fm), o índice fotossintético (IF) e o índice SPAD aos 5, 10 e 15 dias após aclimatização ex vitro. Neste trabalho, foi possível verificar que a total eliminação da sacarose do meio de cultivo in vitro, mesmo utilizando as membranas permeáveis, o abacaxizeiro cv. Pérola não produziu biomassa. Com a utilização das membranas permeáveis e com redução da sacarose para 10 g L-1 no meio de cultivo, houve um maior comprimento da parte aérea, da área foliar, incremento de massa fresca da parte aérea, um maior índice fotossintético, e maiores tores de clorofila a, total e carotenoides. Este ganho na produção de biomassa no tratamento frasco com membranas e 10 g L-1 não foi associado a maior assimilação fotossintética do carbono. Para o cultivo fotomixotrófico do abacaxizeiro in vitro, é indicado o uso das membranas permeáveis e concentração de sacarose no meio de cultivo de 10 g L-1.

  • MARCIANE FURTADO FREITAS
  • Respostas ecofisiológicas de Eucalyptus sob Inoculação de Ceratocystis fimbriata

  • Data: 23/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • O eucalipto é uma espécie de ciclo de crescimento rápido e bastante utilizada para a produção de celulose e papel. Nas últimas décadas a expansão do cultivo tem registrado um aumento agressivo de doenças em viveiros e nas plantações florestais. E uma das doenças mais graves que a cultura do Eucalipto vem enfrentando é a Murcha causada pelo fungo Ceratocystis fimbriata. Este fungo, quando coloniza a planta, irá obstruir o sistema vascular, e como resposta a planta forma tilos, géis ou material fúngico, que irão promover o bloqueio físico dos vasos do xilema e aumentar a resistência ao fluxo de água das raízes às folhas, induzindo a planta a um estresse hídrico. Em decorrência disso, o funcionamento fisiológico da planta será afetado e seu crescimento reduzido, levando a planta a ter sintomas como murcha, cancros e podridão nas raízes, podendo chegar até a morte. Com isso, esse estudo objetivou avaliar as respostas ecofisiológicas de plantas de Eucalyptus spp. inoculadas com o fungo C. fimbriata. Os tratamentos utilizados foram os isolados LPF 1512, 1806, 1607, 1657, procedentes de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso do Sul, respectivamente, e um tratamento controle, utilizando apenas água destilada. Os isolados de C. fimbriata foram cultivados em placa de Petri preenchidas com meio de cultura BDA (200g de batata, 20g de dextrose, 17 g de Agar e um litro de água destilada), em incubadora do tipo BOD, a uma temperatura de 25 ± 1 °C e fotoperíodo de 12 horas, por 15 dias. Ao término do período de crescimento fúngico, foi realizado o preparo da suspensão para inoculação, adicionando 10 mL de água destilada e esterilizada nas placas com o crescimento fúngico. Com o auxílio de uma alça Drigalsk esterilizada, foi realizada a raspagem da superfície da colônia fúngica para a obtenção da suspensão dos esporos. A inoculação foi realizada nas plantas 60 dias após o plantio. Com auxílio de um bisturi foi feita uma incisão longitudinal na epiderme das plantas com aproximadamente 1 cm de comprimento e 0,2 cm de profundidade e a uma altura de três centímetros do colo das plantas. Sendo aplicados 500 μL da suspensão de conídios com uma pipeta automática. Após a inoculação realizou-se análises de crescimento, trocas gasosas, temperatura foliar e fluorescência da clorofila a. O estudo sugere que a resistência ao fluxo de água nos vasos do xilema, imposta pela colonização por C. fimbriata no clone de Eucalyptus VCC 795, independente do isolado utilizado, resultou em déficit hídrico nas folhas e acarretou numa redução das trocas gasosas, além de prejudicar o desempenho fotossintético, observado através das reduções na densidade de centro de reações ativos (RC/ABS) e no índice fotossintético (Pi), e todos esses mecanismos desencadeados resultaram em uma redução no crescimento das plantas. Além disso, a análise de severidade do fungo indica que dos isolados utilizados no estudo o LPF 1657 foi o que mais afetou a fisiologia e o crescimento das plantas do clone de Eucalyptus VCC 795, fato esse que foi comprovado pelos menores valores em altura, A, gs e E, nas plantas inoculadas com esse isolado.

  • MARIA KAROLINE DE CARVALHO RODRIGUES DE SOUSA
  • Atributos do solo e ciclagem de nutrientes em sistema agrossilvipastoril com adubação nitrogenada.

  • Orientador : LUCIANO CAVALCANTE MUNIZ
  • Data: 08/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • Conhecer a influência da adubação nitrogenada mineral em sistemas agrossilvipastoris e os seus efeitos sobre os atributos do solo e produção de forragem, assim como seu papel no processo de ciclagem de nutrientes é essencial para promover o uso eficiente dos nutrientes nesse ecossistema. Desse modo, objetivou-se avaliar os efeitos da adubação nitrogenada mineral e do componente florestal na produção de forragem, nos atributos físicos e frações de carbono orgânico do solo, na decomposição e composição química de serrapilheira do capim Marandu e excreta bovina, em sistema agrossilvipastoril, no trópico úmido maranhense. O experimento foi conduzido em 2019 e 2020, na Unidade de Referência Tecnológica - URT em ILPF da EMBRAPA Cocais em Pindaré Mirim –MA. Foi utilizado o delineamento de blocos casualizados, com quatro tratamentos de adubação nitrogenada (0, 100, 200 e 400 kg de N ha-1 ano-1) e três repetições em uma área total de 3 ha divididos em doze parcelas iguais, sendo as parcelas mantidas sob lotação contínua com dois animais “tersters”, e com taxa de lotação variável com animais de “ajuste”, novilhos anelorados com peso médio de 150 a 180 kg. Para efeito
    de avaliação da produção de forragem e atributos do solo, as amostragens foram feitas por meio de transectos perpendiculares as fileiras duplas de eucalipto em cada parcela experimental. Este foi dividido em cinco pontos: P1 (0 m), P2 (1,75 m), P3 (5,25 m), P4 (8,75 m) e P5 (12,25 m), que corresponderam às distâncias do renque de eucalipto. Para cada uma das referidas distâncias, foi coletada a forragem para avaliar a produção de matéria seca de forragem verde (MSFV) e seca (MSFS) e em seguida foram abertas as minitrincheiras de 30 x 30 x 30 cm para coleta de amostras indeformadas, nas profundidades de: 0 – 10, 10 – 20, 20 – 30 cm, para determinação de atributos físicos (densidade, macroporosidade, microporosidade e porosidade total). Para os atributos químicos do solo (frações de carbono orgânico), coletaram-se amostras deformadas nas mesmas profundidades no sentido perpendicular as minitrincheiras. Para a avaliação da decomposição da serrapilheira do capim Marandu e da excreta bovina, foram utilizadas amostras de folhas senescentes e fezes, que foram incubadas em sacos de náilon, em áreas de exclusão, sendo retirados com 2, 4, 8, 16, 32, 64, 128 e 256 dias, em 2019 e 2020. Foram determinados a composição química Matéria Seca (MS), Matéria Orgânica (MO), Fibra em Detergente Neutro (FDN), Fibra em Detergente Ácido (FDA), N, C, e relação C:N. Os resultados de produção de massa de forragem nas frações verde e seca do capim marandu não diferiram (P > 0,05) em função da adubação nitrogenada, contudo a massa de forragem verde foi influenciada pela distancia da fileira dupla de
    eucalipto, com menor produção de 1733 kg MS ha-1, 49% da massa total, mais próximo das árvores. As diferentes doses de adubação influenciaram as frações de carbono orgânico, com valores de 10,32 g kg-1 e 7,56 g kg-1 para COt, 1,94 e 4,13 g kg-1 para COp com maior incremento na dose estimada de 203 kg de N ha-1 ano-1 e decréscimo de COam com doses até 278 kg de N ha-1 ano-1. O mesmo acontece com os atributos físicos, com exceção da microporosidade que não foi alterada. Os valores dos atributos variaram de 0,54 a 0,56 m3 m-3 para porosidade total, de 0,12 a 0,15 m3 m-3 para macroporosidade e de 1,45 a 1,49g cm-3 para densidade do solo. A produção de forragem é reduzida próxima as árvores do eucalipto em fileira dupla. A adubação nitrogenada modifica as frações físicas do COS reduzindo seus teores em profundidade.
    Os atributos físicos foram influenciados sob sistema agrossilvipastoril melhorando a qualidade física do solo, em profundidade e ao longo do distanciamento das linhas de plantio. A decomposição de serrapilheira entre os anos, 2019 e 2020, foi influenciada pela adubação nitrogenada, com efeito triplo (P<0,0001) entre os níveis de adubação x tempo x ano. A velocidade média de decomposição foi menor no segundo ano, com k =0,00589925 g.g-1.dia-1 contra k = 0,00798675 g.g-1.dia-1 no primeiro ano. A mineralização média de N na serrapilheira foi 74% e nas fezes 17% que proporcionaram um aporte anual de 146 kg N ha-1 ano-1 e 5 kg N ha-1 ano-1 kg N, respectivamente. Não foram observadas diferenças na decomposição e composição química da excreta (P > 0,05) entre as doses e o tempo de incubação para as variáveis analisadas. Ambos os materiais, serrapilheira e excreta apresentaram alta relação C:N, acima de 30:1, revelando a maior dificuldade de degradação do material. Os diferentes comportamentos de velocidade de decomposição das frações serrapilheira e fezes revelaram a distinta capacidade de suporte de nutrientes através dos serviços ambientais uma vez que a contribuição via decomposição desses materiais se constituem como insumo de produção promissor frente a possibilidade de redução de custos com fonte mineral de N.

  • MARIA LUARA ARAGÃO SILVA
  • Intensidade de luz, tipo de vedação e concentrações de sacarose no crescimento e desenvolvimento in vitro de pata-de-vaca (Bauhinia forficata Link)

  • Data: 28/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a intensidade de luz, tipo de vedação e concentrações de sacarose adicionadas ao meio de cultura no crescimento e desenvolvimento in vitro de pata de vaca (Bauhinia forficata Link). Para isso, o experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, esquema fatorial 2x2x3 (duas intensidades de luz - IL, dois tipos de vedação - TV e três níveis de sacarose - NS). Sendo a intensidade de luz de 43 ou 70 μmol m-2s-1, tipo de vedação, tampas de polipropileno com ou sem membranas e asas concentrações de sacarose de 0, 20 ou 30 g L-1, totalizando 12 tratamentos e 4 repetições para cada. Sementes de B. forficata foram obtidas por doação, submetidas a processos de condições assépticas e embaladas em sacos de papel para sua posterior conservação em refrigerador a 2oC. Em condições de laboratório, as sementes foram submetidas ao estabelecimento in vitro, sendo realizado desinfestação para posterior germinação em frascos de vidros desinfetados de 350 mL e mantidas por 30 dias em sala de crescimento. Após esses procedimentos, iniciou-se a avaliação por um período de 45 dias, onde foram utilizados três segmentos nodais das plântulas germinadas em um frasco de vidro de 350 mL, representando cada frasco uma repetição os quais foram distribuídas e submetidas de acordo a cada tratamento. Aos 30 dias foram avaliados massa fresca da parte aérea (MFPA, g), massa seca da parte aérea (MSPA, g), massa fresca da raiz (MFR, g), massa seca da raiz (MSR, g), comprimento de planta (CP, cm), largura da folha (LF, mm), comprimento da folha (CF,mm), número de folhas por planta (NF) e número de brotos (NB). Observou-se diferenças significativas (P ≤ 0.05) na interação TVxNS para a variável MRS, para a interação ILxNS nas variáveis MPAS, MRS, LF e CF, e para a interação ILxTV na variável MPAS. Foi observado um aumento linear positivo (P ≤ 0.05) à medida que aumentava o NS nas variáveis NB, CP, MPAF e MRF. O TV influenciou no peso e tamanho (P ≤ 0.05), sendo observados maiores valores na utilização CM quando comparado aos SM nas variáveis CP, MPAF, MRF, LF, CF e NF. Maiores quantidade, tamanho e peso foram observados na IL, na I70 apresentaram mais NB, CP, MPAF e MRF quando comparado com I43.

  • MYDILANY CARNEIRO FERNANDES
  • Utilização de Isolados de Rizobactérias (Pseudomonas fluorescens) na Remoção de Cádmio em Solos Agrícolas da Região de Senador La Rocque-MA

  • Orientador : JOSÉ ROBERTO PEREIRA DE SOUSA
  • Data: 11/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a capacidade de remoção de cádmio através do isolado de rhizobactéria Pseudomonas fluorescens, em solos com diferentes intervalos de cultivo de uma horticultura localizada no município de Senador La Rocque- Ma. Foram feitas as análises físico-químicas do solo como pH, pHKCL, PHH2O, capacidade de troca catiônica (CTC), teor de matéria orgânica, ponto de carga zero (PCZ). A partir dos resultados obtidos, foi possível observar que os solos dos locais estudados possuem caráter ácido, ou muito ácido, retendo então cátions, presença de matérias inorgânicas, baixa média de troca catiônica, O delineamento utilizado foi em blocos casualizados (DBC) constituído de 6 tratamentos (tempo 0, 2, 5, 10, 15 e 21 dias), e 3 repetições (área 1, área 2, área 3), resultando em 54 unidades amostrais, em fatorial 6x3. Decorrido a fase experimental, foi realizada a extração da espécie investigada, determinada por Espectrometria de Absorção Atômica com Chama (FAAS), posteriormente feitos os cálculos da taxa de remoção e capacidade de biossorção as médias observadas foram submetidos à análise de variância em fatorial. Os dados foram analisados pelo Programa SISVAR® (Ferreira, 2019), utilizando-se o teste de t de student a 5% de probabilidade (LSD) para comparação de médias obtidas. Dentre as áreas investigadas, as áreas 1 e 2 obtiveram a maior diminuição das concentrações de cádmio pela bactéria Pseudomonas fluorescensquando comparadas à área 3 durantes o período de 21 dias. A área 1 obteve uma taxa de remoção máxima de 61,3% de cádmio com um tempo de equilíbrio de 21 dias. Na área II a taxa de remoção foi de 65,52% com 15 dias e a área III teve a menor taxa de remoção com um valor máximo de 27,42% de remoção aos 21 dias. A espécie da bactéria utilizada no estudo P. fluorescens apresentou potencial remediador lento, fato que provavelmente está relacionado com particularidades do agente causador e do metal em estudo.

  • PAULO HENRIQUE ALVES LEÃO
  • Detecção de Populações da Palmeira de Babaçu em Diferentes Ambientes da Amazônia Maranhense Usando Técnicas do Sensoriamento Remoto

  • Orientador : FÁBIO AFONSO MAZZEI MOURA DE ASSIS FIGUEIREDO
  • Data: 29/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O extrativismo do babaçu já se destacou como uma das três principais atividades produtivas do cenário agrário maranhense, que apresentava relevância concentrada no caráter ecológico, preservacionista, político e social. Mas, a partir da década de 70 este cenário começa a mudar, dando início a um conflito histórico entre os produtores rurais e as comunidades extrativistas do coco babaçu. Na década de 90 se iniciou o processo de organização e articulação das mulheres quebradeiras de coco, gerando o primeiro Encontro Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu, que resultou no Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu – MIQCB. Esse movimento contribuiu com a agenda de luta dessas mulheres, que priorizava as questões ligadas à preservação do meio ambiente e às garantias do livre acesso e uso comum das palmeiras. Assim, as quebradeiras conseguiram mais força nas leis do “babaçu livre”. Contudo, mesmo que o MIQCB tenha unido as quebradeiras e adquirido força nos últimos anos, eles ainda não conseguem combater a pressão que as áreas de babaçuais vêm sofrendo pelos grandes empreendimentos agrícolas. Diante desse pressuposto, a criação de políticas públicas para a proteção da palmeira, pode ser uma forma de perpetuar essa cultura tradicional do Maranhão que gera sustento principalmente para essas famílias que dependem do Babaçu.

  • RAABE ALVES SOUZA
  • Desempenho do Sistema Agrossilvipastoril Sob Adubação Nitrogenada.

  • Orientador : LUCIANO CAVALCANTE MUNIZ
  • Data: 30/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • A pecuaria brasileira é composta de sistemas de produção em pastagem, em sua grande maioria, são caracterizados pelo baixo uso de inovações tecnológicas, comprometendo assim, a sua produtividade e lucratividade. Objetivou-se neste estudo avaliar o desempenho do sistema agrossivilpatoril sob adubação nitrogenada por meio daprodução de forragem, composição química, desempenho animal, ,estoque de carbono nas árvores e a viabilidade econômica. A pesquisa desenvolveu-se nos anos de 2019 e 2020 na Unidade de Referência Tecnológica (URT) de Integração Lavoura Pecuária Flotesta (ILPF) da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), unidade Cocais, localizada no município de Pindaré-Mirim/MA, Brasil. A área experimental possui aproximadamente 3,0 ha, estabelecida em pastagem de Urochloa brizantha cv Marandu, formada em consórcio com milho (Zea mays L.) e eucalipto (Eucalyptus ssp.). Dividida igualmente em três blocos, cada bloco com área de 1 ha que foram subdivididos em quatro piquetes de aproximadamente 0,250 ha. Cada piquete correspondeu a um tratamento: (I) controle, sem adubação nitrogenada; (II) aplicação de 100 kg/ha/ano de nitrogênio (N), (III) aplicação de 200kg/ha/ano de N; (IV) aplicação de 400 kg/ha/ano de N. As adubações com uréia foram parceladas em quatro doses iguais durante o período chuvoso, nos meses de maio, junho, julho e agosto de 2019 e no ano de 2020, nos meses de abril, maio, junho e julho, distribuído manualmente a lanço. O método de pastejo foi lotação contínua, com carga variável. Os novilhos anelorados utilizados possuíam peso médio de 180 kg, sendo dois animais “tersters” que permaneceram fixos nas parcelas, e um número variável de animais de “ajuste” de acordo com a oferta de forragem que era ajustada a cada 28 dias, juntamente com a pesagem dos animais para avaliar o desempenho. As avaliações do marandu foram analisados nos meses de outrubro, novembro e dezembro de 2019 e nos meses de janeiro, fevereiro, junho, julho, agosto e setembro de 2020, onde obteve a Massa Total de Forragem (MST), porcentagem de forragem verde e senescente. Na composição química foi determinado Matéria Seca (MS), Cinzas (CIN), Proteína bruta (PB) e Fibra em Detergente Neutro (FDN). No animal foram mensurados Ganho Médio Diário de Peso (GMD), Ganho Médio Diário por Área (GMA) e Taxa de Lotação (TL). No componente arbóreo foram selecionadas 10 árvores por piquete, para a determinação diâmetro na altura do peito (DAP) dos fustes, diâmetro na base (DB), e uma árvore para estimativa de biomassa aérea total, fração (folhas e fuste), volume de plantas (V), Teores de Cinzas e Carbono (C). Na avaliação economica foi realizado o cálculo do custo de produção, composto por: Custo Operacional Efetivo (COE); Custo Operacional Total (COT); e, Custo Total (CT). Como medida de resultado econômico foi realizado os seguintes cálculos: Renda Bruta (RB); Margem Bruta (MB); Margem Líquida (ML); Renda Líquida (RL); e, Ponto de Nivelamento (PN). E os indicadores econômicos: Valor Presente Líquido (VPL), Taxa Interna de Retorno (TIR) e Relação Benefício Custo (RBC). O maior valor de massa de forragem verde seca foi observado em janeiro com média de 9,9 ton/ha e menor nos meses de julho e agosto com média de 2,0 ton/ha. Não houve diferença estatística (P>0,005) entre adubação nitrogenada e produção de massa de forragem, assim como para o GMD (maior ganho no mes de janeiro com 0,61 kg UA-1 dia-1) e GMA (maior ganho em janeiro de 2020 com 3,5 kg UA-1 dia-1). As TL foram de 4,2, 4,09, 4,07 e 3,87 UA/ha, nos tratamentos 0, 100, 200 e 400 N kg/ha/ano. Os maiores teores de PB foram encontrados no tratamento de 200 e 400 kg N/ha/ano para a forragem verde (14,07 e 14,48g/g N) e para a forragem seca (10,56 e 10, 45 g/g N, respectivamente).Os maiores teores de CIN foram nas doses de 100 kg N/ha/ano (14,44%) e 400 kg N/ha/ano (14,55%) na forragem senescente e na forragem verde o melhores teores foram nas doses de 200 kg N/ha/ano (14,72%) e 400 kg N/ha/ano (14,88%). FDN foi maior no 400 kg N/ha/ano (64,28%). A dose que apresentou valor máximo de viabilidade econômica foi a de 100 kg de N/ha/ano. apresentando melhores valores para VPL considerando a TMA de 19%, 27% e 40%; de TIR com 103,59% e de RBC de R$ 2,04.

  • RAYANE REIS SOUSA
  • Crescimento, tolerância e potencial fitorremediador de Canavalia ensiformes L. em solo contaminado por cobre e zinco

  • Data: 27/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • A fitorremediação é uma proposta inovadora como metodologia alternativa para a remoção de poluentes orgânicos, sendo o sucesso da técnica condicionado à seleção criteriosa de plantas com características favoráveis. Espécies de leguminosas exibem particularidades favoráveis para crescerem rapidamente em solos degradados, o que é uma qualidade importante quando se considera o potencial para fitorremediação destes contaminantes. Para alcançar o objetivo foram realizadas pesquisas bibliográficas e experimentais, organizados em quatro capítulos. Desta forma, este estudo teve como objetivo avaliar a resposta fisiológica, determinar a tolerância e o potencial fitorremediador de C. ensiformes L. em doses crescentes de cobre e zinco no solo. O experimento foi conduzido em casa-de-vegetação, em delineamento inteiramente casualizado para ambos os metais. O solo foi tratado com quatro doses, além do controle de cobre e zinco equivalentes a (0, 10, 20, 40 e 80 mg kg1), com quatro repetições, a espécie utilizada foi a C. ensiformes. O primeiro capítulo é uma revisão bibliográfica sobre os metais potenciamente tóxicos, cobre, zinco, fitorremediação e C. ensiformes. O segundo capítulo teve como objetivos avaliar as respostas fisiológicas de C. ensiformes cultivadas em solo com doses crescentes de cobre e zinco. As variáveis analisadas foram: intensidade de verde, índice fotossintético (PI) e contagem do número de nódulos. Além disso, foram analisadas as variáveis de fluorescência da clorofila a: fluorescência inicial (F0), fluorescência máxima (Fm), fluorescência variável (Fv) e eficiência quântica máxima do PSII (Fv/Fm). Os resultados foram submetidos a ANOVA e teste de regressão (p<0,05). Em relação à fluorescência da clorofila a, verificou-se que os indivíduos apresentaram taxas fora do normal, indicando condição de estresse, houve diminuição na relação Fv/Fm e na intensidade de verde na dose 80 mg kg-1 . Os índices fotossintéticos revelaram que as plantas de C. ensiformes são sensíveis a contaminação de Zn e Cu. As maiores doses dos metais provocaram uma menor quantidade de nódulos. Portanto, pode-se concluir que os metais cobre e zinco em níveis elevados ocasionam dano ao metabolismo fisiológico em plantas de C. ensiformes. O terceiro capítulo teve como objetivo avaliar o potencial fitorremediador da espécie C. ensiformes cultivadas em solo com doses crescentes de cobre e zinco. As variáveis analisadas foram a morfométrica de crescimento: altura, diâmetro do caule e número de folhas, biomassa seca e teores de cobre e zinco da parte aérea e raiz, os índices e fatores de translocação, bioacumulação e tolerância. As plantas de C. ensiformes durante o período experimental foram tolerantes aos tratamentos utilizados, no entanto, doses de cobre e zinco no solo acima de 20 mg kg-1, diminuíram o crescimento das mesmas. Os teores de zinco e cobre foram superiores na parte aérea. O FT foi superior a 1 para Zn mostrando que para este metal a planta foi fitoextratora. Portanto, pode-se afirmar que C. ensiformes é uma alternativa econômica e ecológica para a remediação de metais.

  • VALERIA MELO COSTA
  • Importância das Variáveis Ambientais Sobre a Abundância de Rupela albinella Cramer 1781 (Lepidoptera: Crambidae), Parasitismo de Telenomus sp. (Hymenoptera: Scelionidae) na Cultura do Arroz com Caracterização Molecular do Parasitoide

  • Data: 30/11/2021
  • Mostrar Resumo
  • A espécie Rupela albinella Cramer 1781 (Lepidoptera: Crambidae) é uma mariposa branca popularmente conhecida como noiva-do-arroz, trata-se de um importante praga do arroz na
    região da baixada maranhense, responsável por prejuízos significativos na produtividade da cultura. O objetivo do estudo foi determinar a importância das variáveis ambientais de temperatura do ar, precipitação pluviométrica e fotoperíodo sobre a abundância de mariposas de R. albinella e parasitismo de Telenomus sp. Ademais, foi realizada a caracterização molecular de uma nova espécie de parasitoide associado a R. albinella. A pesquisa foi conduzida na safra 2019/2020, entre os meses de janeiro a abril em lavoura comercial de arroz irrigado nos diferentes estágios fenológicos (fases de desenvolvimento) no município de Arari, MA. A coleta de mariposas de R. albinella foi realizada com o auxílio de uma armadilha luminosa “Modelo Esalq, 220”, enquanto as massas de ovos de R. albinella foi feita manualmente durante os diferentes estágios fenológicos do arroz. Para verificar se ocorre variação da abundância de R. albinella e Telenomus sp. foi realizada uma análise de variância (ANOVA one-way). Foi utilizada análise de regressão linear simples para verificar os possíveis efeitos das variáveis abióticas (temperatura do ar, precipitação pluviométrica e fotoperíodo) sobre a abundância de R. abilnella e parasitismo de Telenomus sp. Além disso, o código de barras COI foi utilizado para identificar Telenomus sp. A abundância de R. albinella não se
    diferenciou entre os estágios fenológicos do arroz e não demonstrou relação com as variáveis abióticas. Entretanto, houve diferença no parasitismo realizado por Telenomus sp. entre os
    estágios fenológicos e a relação entre o parasitismo com o fotoperíodo. Os indivíduos de Telenomus sp. sequenciados apresentaram a região barcode idêntica, com homologia de aproximadamente 91%. Conclui-se que, existe diferença da abundância dessa nova espécie de Telenomus sp. nas massas de ovos de R. albinella nos estágios fenológicos e variações do fotoperíodo podem afetar essa abundância. A caracterização molecular da espécie de Telenomus sp. indica a necessidade de estudos taxonômicos e sistemáticos com o intuito de atualizar as espécies que atuam como agentes de controle biológico no arroz tendo em vista o manejo integrado de pragas no Maranhão.

  • VICTOR ROBERTO RIBEIRO REIS
  • Variação nos Atributos do Solo em Agrossistemas da Amazônia Maranhense e suas Relações com a Produtividade do Milho.

  • Data: 30/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo foi determinar a relação entre os atributos do solo, a produtividade do milho e a mudança do agroecossistema, visando definir um manejo capaz de aumentar o potencial de produção de milho, em solos estruturalmente frágeis da Amazônia Maranhense. O experimento foi conduzido entre novembro e maio, entre os anos de 2019 e 2020, no município de Pindaré-Mirim, MA, Brasil. Este estudo foi dividido em dois ensaios experimentais: Experimento 1 - Determinou quais e como os atributos do solo influenciam a produtividade do milho. Para essa avaliação foram delimitados 119 pontos de amostragem georreferenciados, em uma grade uniforme de 9m x 8m, totalizando uma área experimental de 1 ha. A produção de milho foi amostrada em 6 m2, ao redor dos pontos de amostragens. Para determinação dos atributos físicos, foi aberta uma trincheira de 30x30x30cm, próxima a cada ponto de amostragem. Experimento 2 - Determinou a influência dos diferentes agroecossistemas na fertilidade do solo. Foram avaliados quatro agroecossistemas, cada um com aproximadamente 1 ha: Mata, Pastagem, Lavoura e Sistema Agrossilvipastoril. Para essa avaliação foram abertas três trincheiras semelhantes àquelas do experimento anterior, em cada uso da terra, distribuídas de forma aleatória. Para retirada das amostras deformadas, foram distribuídos, ao redor de cada trincheira, doze pontos equidistantes nas quatro direções cardeais. Em ambos os experimentos, foram amostradas duas camadas: 0-15 e 15-30cm. Foram analisados os atributos físicos (composição granulométrica, Ds, PT, MIC e MAC e RP), os atributos químicos (pH, P, Ca, Mg, K, Na, H+Al, T, CTC e V%) e as frações físicas de carbono orgânico (COT, COP e COAM). No experimento 1, foram realizadas a estatística descritiva dos dados, o teste de normalidade de Shapiro-Wilk e de homogeneidade de variância de Bartlett, o teste de correlação de Pearson e a regressão multipla pelo método stepwise, ambos a 5% de significância, além da Krigagem Ordinária com mapas de isolinhas. No experimento 2, foram realizados os mesmos testes de normalidade e homogeneidade de variância, com posterior análise de comparação de médias pelo teste de Tukey (α=5%). Os atributos do solo que influenciaram a produtividade do milho foram COAM, RP e pH e indiretamente os teores de Ca. Em solos tropicais frágeis, o sistema agrossilvipastoril representou uma ótima estratégia para conservação e recuperação ambiental.

2020
Descrição
  • Danilo Gualberto Zavarize
  • Síntese de catalisador ácido heterogêneo em base carbônica obtida de resíduos de sementes de açaí (Euterpe oleracea Mart.) para produção de biodiesel com de óleo de fritura

  • Data: 17/02/2020
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo foi conduzir reações de transesterificação de óleo de fritura em biodiesel, com catalisador ácido heterogêneo sintetizado em bases carbonizadas obtidas com resíduos de semente de açaí (Euterpe oleracea Mart.). As fases do produto (sementes processadas, biocarvão, catalisador pré-uso e catalisador pós-uso) foram caraterizadas quanto a aspectos físicos, químicos e físico-químicos. Foram consideradas três variáveis para ensaios de produção do biocarvão: tempo de carbonização (2, 4 ou 6 h), temperatura de carbonização (180, 360 ou 540 ºC) e dosagem de ativador (5,0, 7,5 ou 10 % da massa de sementes processadas), arranjadas experimentalmente em 27 observações, com influência no processo averiguada por meio de testes estatísticos. Para os ensaios de produção de biodiesel, foram consideradas as seguintes variáveis: relação molar óleo/metanol (10:30, 10:45 ou 10:60), dosagem de catalisador (6,0, 8,0 ou 10 % da massa de óleo), tempo de reação (90, 150 ou 210 minutos), temperatura de reação (55, 60 ou 65 ºC) e velocidade de mistura (400, 500 ou 600 rpm), arranjadas conforme a metodologia de otimização multivariada de Box-Behnken, que resultou em 46 observações avaliadas por modelagem matemática e testes estatísticos. A partir dos dados de otimização, foram conduzidas as seguintes etapas: ensaios de consistência da otimização, reuso do catalisador, e ensaio de comparação de performance a catalisadores convencionais homogêneos. O uso de resíduos sementes de açaí como matéria-prima para carbonização e síntese de catalisador ácido heterogêneo mostrou-se tecnicamente e financeiramente viável, ao fornecer rendimento máximo de 84,21% de biocarvão e 43,12% de rendimento final de catalisador com custo total de R$ 133,18, com características de catálise equivalentes e, por vezes, até superiores, àquelas reportadas em estudos que exploraram outros tipos de resíduos agroindustriais. Os resultados que evidenciam essas propriedades catalíticas remetem aos seguintes pontos: (i) rendimentos de biodiesel que variaram de 45,90 a 97,14%, (ii) capacidade de reuso do catalisador por 11 ciclos de transesterificação, com rendimentos inalterados ao longo dos 5 primeiros, (iii) performance superior aos catalisadores convencionais homogêneos H2SO4 e KOH, que forneceram rendimentos de 88,72, 84,95 e 52,93%, respectivamente, e (iv) os ganhos ambientais pelo reaproveitamento de biomassa corriqueiramente descartada de forma irregular no meio ambiente. Adicionalmente, a otimização numérica multivariada do processo sugeriu que 37,64 ml de metanol, 8,25% de catalisador, 209,9 minutos de reação, 60,7 ºC de temperatura e 400 rpm de velocidade de mistura resultariam em 89,0% de rendimento otimizado de biodiesel, o qual foi validado por meio do ensaio de consistência que resultou em 88,73% de rendimento, diferente apenas em 0,27% do rendimento sugerido.

  • DANYLO MILHOMEM FERREIRA
  • MUDANÇAS DE USO E COBERTUrA DO SOLO NA BACIA DO RIO LAJEADO, ESTADO DO MARANHÃO

  • Data: 23/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os estudos de uso e ocupação da terra em escalas maiores se fazem cada vez mais
    necessários, uma vez que promovem um diagnóstico da paisagem de forma mais exata, e assim contribuem para elaboração de planos de ordenamento do espaço antropizado com o espaço natural, minimizando processos de degradação ambiental ao longo de bacias hidrográficas. O presente estudo teve como objetivo identificar e caracterizar as dinâmicas espaço temporais de uso e ocupação do solo na bacia do Rio Lajeado, estado do Maranhão, que está integralmente inserida no Bioma Cerrado. Foram utilizadas imagens do satélite Landsat-5 (TM), para os anos de 1986, 1996 e 2006 e Landsat-8 (OLI), para o ano de 2018. Utilizou-se do software QGIS 3.4.8 para o processamento digital das imagens e realização da classificação supervisionada das imagens por meio do algoritmo Random Forest instalado neste software. Quanto a acurácia dos mapas temáticos, utilizou-se do plugin AcATaMa, no qual, adotou-se o modelo da amostragem aleatória por extratos, ou seja, as amostras geradas levaram em consideração a proporção da classe classificada em relação a área. Todas as classificações apresentaram resultados de acurácia global superiores a 80%. No período analisado notamos importantes mudanças, haja vista que no ano de 1986 a área em estudo era ocupada por 84,61% de formações naturais, e com o passar dos anos, este cenário foi bastante modificado, de tal forma que, no ano de 2018 as formações naturais representavam 53,26% da área em estudo. Ocorreu também o surgimento de duas classes de uso e ocupação do solo, os bananais e a silvicultura, com plantios de eucalipto. Entre as classes não naturais, as pastagens se destacaram, ocupando a área de 43,18% no ano de 2018, e se configurando como a maior força motriz responsável pelas transformações da paisagem na bacia hidrográfica do rio Lajeado. Portanto os resultados obtidos por meio de técnicas de sensoriamento remoto, são de suma importância, uma vez que as atividades de pastagem, silvicultura e bananicultura, próximas aos cursos d'água podem causar inúmeros impactos ambientais, em decorrência do processo de desmatamento para introdução dessas novas atividades.  O desmatamento de formações naturais pode acarretar perda da biodiversidade e de habitats, erosão do solo, assoreamento de córregos e influenciar no clima. Não somente com desmatamento pode haver a ocorrência de impactos ambientais, mas também temos impactos ambientais associados ao manejo dessas atividades, devido ao uso de agrotóxicos, uso irracional de água para irrigação das culturas perenes, compactação do solo devido ao pastoreio do gado, contaminação do solo e de córregos, pelas fezes dos bovinos.

  • FILIPE REZENDE LUCENA
  • Implantação e crescimento de Khaya ivorensis em cultivo puro e consorciado com culturas agrícolas

  • Orientador : FÁBIO AFONSO MAZZEI MOURA DE ASSIS FIGUEIREDO
  • Data: 22/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os sistemas agroflorestais (SAF’s) representam concepções socioambientais de grande importância relacionados a produção agropecuária, principalmente no que se refere à sustentabilidade e biodiversidade. Além disso, o formato de produção consorciada viabiliza a diversificação produtiva e a geração de fonte de renda em muitas etapas e setores de produção. A espécie florestal utilizada foi a Khaya ivorensis (Mogno africano), que pertencente à família das meliáceas, e se encontra em grande expansão pelo Brasil. Objetivou-se avaliar os efeitos da consorciação de culturas agrícolas (feijão-caupi, milho e mandioca) sobre o crescimento e sobrevivência da espécie arbórea e o impacto econômico desse sistema na produção. Foram estudados três sistemas de plantio: T1 - Plantio convencional de mogno africano; T2 - Sistema taungya, composto por mogno africano + milho + mandioca; e T3 - Sistema taungya, composto por mogno africano + feijão + milho. Para avaliar o retorno econômico, proporcionado pelas culturas agrícolas, toda produção foi comercializada em mercado local. A cultura do feijoeiro foi avaliada em relação à produtividade de vagens verdes; comprimento médio de vagem; massa da vagem após colheita; número de grãos por vagem; produtividade; massa seca da parte aérea da planta. Para o milho foram avaliados a altura da planta; produtividade de espiga com e sem palha; massa da espiga com e sem palha; porcentagem de espigas comerciais; comprimento, diâmetro e a massa de 20 espigas comerciais por parcela. No cultivo da mandioca foram avaliados altura da planta; diâmetro do caule; número de bifurcações e produtividade de raízes. No mogno foi avaliado a taxa de sobrevivência, e os dados biométricos para altura (m) e o diâmetro do colo (mm). O sistema de consorcio do tratamento T2 diferenciou-se significativamente do sistema convencional. Os tratamentos 2 e 3 (sistemas taungya), descritivamente apresentaram resultados superiores para bactérias totais do solo, assim como amortizaram 25,23% e 20,63%, respectivamente, dos custos finais em relação ao monocultivo. Ao retirar os custos de atividades manuais e considerar apenas a mão de obra familiar, os tratamentos 2 e 3 amortizaram 65,57% e 54,05%, respectivamente, dos custos finais em relação ao monocultivo. Não foi verificado interferência das culturas agronômicas no crescimento do mogno africano. Os resultados sugerem que o cultivo da Khaya ivorensis em consorcio com culturas agrícolas, quando bem manejado, pode ser vantajoso ambientalmente e economicamente para o produtor rural.

  • GESLANNY OLIVEIRA SOUSA
  • ALTERAÇÕES NO SOLO, EM FUNÇÃO DA CRONOSSEQUÊNCIA DA PASTAGEM EM INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA, NA AMAZÔNIA MARANHENSE

  • Data: 29/05/2020
  • Mostrar Resumo
  • Resumo:

    No município de Pindaré-Mirim e em outras regiões da Amazônia, é predominante a prática de conversão de florestas nativas em pastagens para pecuária de corte tradicional ou áreas agrícolas, que rapidamente atingem o estágio de degradação. Nesse sentido o trabalho tem como objetivo mensurar os atributos físicos e químicos do solo em cronossequência de pastagem em um sistema de integração lavoura-pecuária-floresta, em Pindaré-Mirim, estado do Maranhão, Brasil. Para efeito de avaliação, o experimento contemplou dois ambientes de referência: capoeira com vegetação secundária em regeneração há aproximadamente 20 anos e mata nativa de babaçu com solos coletados antes do início do projeto; e cinco épocas de sucessão: Pastagem degradada, ILPF 2016, 2017, 2018 e 2019 que foram comparados com os ambientes de referência. As amostras indeformadas foram coletadas para determinação de atributos físicos (densidade, macroporosidade, microporosidade e porosidade total) nas camadas: 0-10, 10-20, 20-30 e 30-40 cm. Para os atributos químicos (pH, MO, P, Al, H+Al, SB e V) do solo coletou-se amostras deformadas nas mesmas camadas. Para as análises de teor e estoque de carbono as análises compreenderam as camadas 0- 10, 10-20, 20-30, 30-40, 40-60, 60-80 e 80-100 cm. De posse dos dados foi realizada análise de variância e empregado teste de médias (Tukey, 5% de probabilidade), ainda, realizou-se análise multivariada (análise de componentes principais e de agrupamento). A pastagem no segundo ano de ILPF (2017) apresenta menores valores de macroporosidade e porosidade total em todas as camadas estudadas, entretanto em ILPF 2019 apresentou maiores valores de macroporosidade. Para as camadas 0-10, 10-20 e 30-40 cm as variáveis fósforo e saturação por bases apresentaram maiores valores em ILPF 2018. A camada 20-30 cm no manejo ILPF 2018 demonstrou maiores valores de P, MO, pH e microporosidade. ILPF 2017 apresenta dissimilariedade dos demais usos do solo pelo ponto de vista de variáveis de físicas do solo, enquanto ILPF 2018 foi pela melhoria química do solo. O incremento de estoque C acumulado (0-100 cm) em relação a Mata Nativa com o uso da pastagem em ILPF de 2018 após o consórcio milho-capim foi de 16%. A pastagem em ILPF de 2018 incrementou o estoque de carbono (0-100 cm) em 31% em relação a pastagem degradada (2016).

  • JACKSON DA COSTA BARROS
  • MANEJO DE Tibraca limbativentris, Oebalus poecilus (HEMIPTERA: PENTATOMIDAE) E Rupela
    abinella (LEPIDOPTERA: CRAMBIDAE) EM LAVOURA DE ARROZ NO MARANHÃO

  • Data: 18/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • O percevejo-do-colmo do arroz, Tibraca limbativentris Stal 1860, o percevejo-dos-grãos, Oebalus poecilus Dallas 1851(Hemiptera: Penatomidae), e a broca-do-colmo, Rupella albinella Cramer 1781 (Lepidoptera: Crambidae), são reportados como os insetos-praga mais prejudiciais para a cultura do arroz no Maranhão. Objetivou-se propor estratégias de manejo para T. limbativentris e O. poecilus a partir da caracterização da diapausa, bem como apontar as espécies de parasitoides de ovos de R. albinella no Estado do Maranhão. Para tanto, durante a safra e entressafra (2018/2019) foram realizadas coletas mensais de T. limbativentris e O. poecilus em lavoura de arroz localizada no município de Itapecuru-Mirim, MA. As coletas foram realizadas a partir do momento em que as espécies foram observadas no campo, sendo 25 e 70 dias após o plantio do arroz para T. limbativentris e O. poecilus, respectivamente. Os percevejos foram coletados por meio de inspeções nas plantas e, também, com auxílio de rede entomológica. Posteriormente, foram acondicionados em recipientes de vidro, sacrificados em álcool 70% e encaminhados para o laboratório, onde foram dissecados para avaliação do aparelho reprodutor e quantificação do conteúdo de gordura corporal. Concomitantemente, de janeiro a abril de 2019, em lavoura de arroz localizada no município de Arari, MA, foram coletados ovos de R. albinella a partir de inspeções nas plantas de arroz. As coletas foram realizadas 35 dias após o plantio do arroz, quando a espécie foi observada no campo. As posturas coletadas foram acompanhadas em laboratório para registro da emergência dos parasitoides. Após a morte dos mesmos, foram preservados em álcool 70% e enviados para identificação das espécies. Maior quantidade de percevejos fêmeas de T. limbativentris encontrados no período da safra apresentou 1/3 de gordura, bem como grande quantidade de ovos, visto que a cultura estava presente no campo. Para os machos, notou-se que a cavidade abdominal apresentou 1/3 de gordura e aparelho reprodutor desenvolvido, indicando que os percevejos estavam reprodutivos neste período. Na entressafra, sobretudo de junho a setembro, houve um expressivo aumento no número de fêmeas de T. limbativentris com 3/3 de gordura. Para O. poecilus, observou-se que fêmeas imaturas apresentaram flutuação populacional semelhante à das fêmeas maduras. No entanto, o número de fêmeas maduras de O. poecilus foi sempre maior. Em todas as coletas houve predominância de machos de O. poecilus com acúmulo de 1/3 de gordura e aparelho reprodutor desenvolvido. Pela primeira vez a espécie T. podisi nov. sp. 1 foi relatada como parasitoide de ovos de R. albinella no Maranhão. Observou-se taxa de parasitismo de 68,64% e o número de parasitoides coletados totalizou 8.590 indivíduos. Conclui-se que T. limbativentris e O. poecilus migram para a lavoura apresentando órgãos reprodutivos maduros ou imaturos, infestam a lavoura durante a safra e, após a colheita, podem acumular gordura e apresentar características de insetos diapausantes. Além disso, T. podisi nov. sp. 1 ocorre no Maranhão como importante parasitoide de ovos de R. albinella, abrindo perspectivas para que esse parasitoide seja estudado a fim de integrar programas de controle biológico em arroz no estado.

  • JEOVANIA OLIVEIRA LIMA
  • PLANTAS NATIVAS DO CERRADO MARANHENSE COM POTENCIAL FITORREMEDIADOR DE SOLOS CONTAMINADOS POR MANGANÊS E ZINCO

  • Data: 08/09/2020
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar o comportamento de diferentes plantas nativas do Cerrado maranhense, ipê roxo
    (Tabebuia impetiginosa) e aroeira (Myracrodrun urundeuva) na fitorremediação de solo contaminado por
    Mn (II) e Zn (II) em condições de casa de vegetação. Foram realizadas coletas de solo em área preservada
    no município de Imperatriz-Ma e feitas análises físico-químicas: pH em água e KCl, capacidade de troca
    catiônica, teor de matéria orgânica ensaios de adsorção, cálculos de eficiência e análise da
    biodisponibilidade dos mesmos. Os resultados indicaram que o solo tem características ácidas, tendência à
    retenção de cátions, com baixa e média capacidade de troca catiônica, predominância de matérias
    inorgânicas e minerais incorporados no solo e que os metais Zn e Mn tem alto teor de biodisponibilidade.
    Para o experimento de fitorremediação foram produzidas mudas Tabebuia impetiginosa e Myracrodrun
    urundeuva em casa de vegetação. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado (DIC), constituindo 12 tratamentos com 3 repetições, resultando em 36 unidades experimentais. Após período experimental foi feita a extração de metais das espécies, determinação de metais por Espectrometria de Absorção Atômica com Chamas (FAAS) e cálculos de Fator de bioconcentração (BCF) e fator de translocação (FT). As análises de variâncias para amostras independentes (ANOVA) foram obtidas, sendo as médias comparadas pelo teste t a 5% de probabilidade, as análises estatísticas foram realizadas no IBM SPSS Statistic. Dentre as espécies investigadas, T. impetiginosa apresentou uma produção de biomassa (parte aérea/raiz) maior que M. urundeuva no período de 25 dias. No período de 45 dias a biomassa da raiz foi maior em T. impetiginosa em solo dopado e a menor produção de biomassa foi verificada no grupo controle de M. urundeuva. Com relação ao teor de Mn na raiz, T. impetiginosa no período de 45 dias em solo dopado obteve a maior concentração do metal. Com relação ao T. impetiginosa, as concentrações de Mn apresentaram diferenças significativas na raiz da planta no período de 45 dias em solo dopado 130,74 mg kg-1. Na parte aérea, o Mn apresentou maiores concentrações em M. urundeuva no período de 45 dias em solo controle, 335,80 mg kg-1 e em T. impetiginosa no período de 25 dias em solo dopado, 256,10 mg kg-1. As maiores concentrações de Zn na raiz foram observadas nos períodos de 25 dias dos solos dopados das duas espécies, com absorção de 142,10 mg kg-1 para T. impetiginosa e 150,57 mg kg-1 para M. urundeuva. Na parte aérea a concentração de Zn foi maior na espécie M. urundeuva em solo dopado no período de 45 dias 398,97 mg kg-1. Para os FT e BCF, T. impetiginosa, apresentou eficiência em fitoestabilização e fitoextração para ambos metais. M. urundeuva teve comportamento fitoextrator no período de 45 dias de cultivo. No período de 25 dias em solo dopado M. urundeuva se comportou como fitoestabilizadora, retendo e imobilizando os metais no solo. As duas espécies estudadas apresentaram boa tolerância aos metais manganês e zinco nos solos.

  • JORGE ARTHUR NASCIMENTO MIGNONI
  • Indicadores físicos e químicos do solo em função da mudança do uso da terra

     
  • Data: 05/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • O uso intensivo da terra tem acelerado a perda da qualidade do solo, processo que pode ser evitado pela adoção de sistemas conservacionistas de produção, como os sistemas de Integração Pecuária-Floresta (IPF). Os efeitos dos IPF’s na qualidade do solo podem ser comprovados pela avaliação de diversos indicadores químicos e físicos do solo durante o seu manejo. Ressalta-se que no Sudoeste do Estado do Maranhão grande parte dos solos das propriedades rurais encontram-se com algum grau de degradação, uma vez que têm sido explorados por décadas com pastagens implantadas sem a utilização de medidas conservacionistas, o que levou ao atual quadro de degradação e baixa produtividade. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a mudança de alguns indicadores físicos e químicos do solo no ecótono Cerrado-Floresta Amazônica maranhense sob o sistema IPF, sistema convencional com pastagem e comparar à uma área de floresta secundária. O estudo foi realizado na Fazenda Monalisa, localizada no município de São Francisco do Brejão, MA. O sistema IPF foi implantado no ano de 2016, em uma área com 70 ha, anteriormente ocupadas com pastagem. Adjacente a esta área encontra-se uma área de pastagens em sistema convencional e um fragmento de floresta secundária. As amostras de solo foram coletadas no período de chuvas e no período seco, que compreende os meses de fevereiro e agosto de 2019. Foram determinados os indicadores físicos densidade do solo e resistência mecânica do solo à penetração e os químicos: pH, acidez potencial, teores de cálcio, magnésio, fósforo, potássio, alumínio trocável, matéria orgânica, capacidade de troca de cátions, soma de bases, saturação por bases, saturação por alumínio e estoque de carbono. Os sistemas de manejo do solo foram comparados entre si através de análise multivariada de componentes principais. A ACP agrupou os diferentes usos da terra em três grupos, em função da similaridade dos indicadores estudados, revelando que as práticas de correção e fertilização da área sob sistema de integração tiveram alta influência nos resultados. Para todas as camadas avaliadas, em ambas as estações, a primeira componente principal separou a área com o IPF das demais, em função da maior influência do pH, matéria orgânica, P, Ca, Mg e K, com reflexo na SB, CTC e V verificada nessa área. A segunda componente separou a área de PC, influenciada, principalmente, pela variável saturação de Al na CTC efetiva do solo. Dos três sistemas estudados, a área de floresta secundária apresentou menores índice de resistência à penetração, uma vez que não sofre pisoteio de animais ou trafego de máquinas, que são considerados principais causas da compactação do solo. A área de IPF apresentou uma qualidade intermediária do solo. O estudo aqui proposto foi pioneiro na Região e poderá contribuir para inversão do atual quadro de degradação observado, permitindo uma exploração sustentável para os solos de uma região estratégica para o desenvolvimento do Estado.

     

  • LEONARDO CUNHA ROCHA
  • EFEITO DA COBERTURA VEGETAL, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E FOGO SOBRE AS COMUNIDADES DE MOSCAS NECRÓFAGAS (DIPTERA: CALLIPHORIDAE, MESEMBRINELLIDAE E SARCOPHAGIDAE) NO PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DAS MESAS, MA

  • Data: 03/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • Os insetos são excelentes modelos para estudar os efeitos de ecossistemas modificados, seja pela ação humana ou por mudança naturais nos ambientes agindo sobre os padrões de diversidade e funcionamento dos ecossistemas. Na Classe Insecta, os dípteros são apontados como bioindicadores para avaliação de impacto e monitoramento ambiental, podendo fornecer respostas às mudanças provocadas em seu habitat pela antropização, mudança no gradiente de vegetação e possivelmente aos eventos de fogo. Diante disso, estudos faunísticos e ecológicos na região do Parque Nacional da Chapada das Mesas são essenciais, pois esta Unidade de Conservação localiza-se em um hotspot da biodiversidade, e vem sofrendo com distúrbios antropogênicos, perda de vegetação nativa e queimadas. Assim este trabalho teve como objetivo estudar os padrões de composição, riqueza, abundância e diversidade de espécies das comunidades de moscas necrófagas (Calliphoridae, Mesembrinellidae e Sarcophagidae), verificando os possíveis efeitos da cobertura vegetal e presença de fogo sobre a composição, riqueza, abundância e diversidade desses táxons  no PARNA da Chapada das Mesas. Observou-se que as comunidades das três famílias tiveram um padrão de distribuição distinto de acordo com a cobertura vegetal das fitofisionomias. Os ambientes mais abertos foram os que apresentaram maior abundância e riqueza estimada para Calliphoridae e Sarcophagidae. Mesembrinella bicolor (Fabricius, 1805) a única representante de Mesembrinellidae neste estudo, ocorreu apenas nas fitofisionomias florestais (Floresta Estacional e Mata de Galeria) e funcionou como um bom indicador dessas áreas. Sarcophagidae, de modo geral, teve maior ocorrência nas áreas abertas devido seu comportamento heliófilo. Em relação às variáveis ambientais os califorídeos tiveram maior relação com os tipos de fitofisionomias e maior abundância nos dias chuvosos, os sarcofagídeos por outro lado, se adaptaram melhor às áreas que mais sofreram queimadas. Diante disso, este trabalho sugere  o direcionamento dos esforços para a conservação e preservação das áreas protegidas do parque Nacional da Chapada das Mesas, que vêm sofrendo processos de antropização, a fim de minimizar os impactos causado nas comunidades de dípteros necrófagos, bem como entender melhor como as mudanças no regime de fogo podem afetar essas comunidades, uma vez que foi observado neste trabalho que o fogo pode ser fator de exclusão para muitas espécies do grupo califorídeos + mesembrinelídeos, ao passo que favorece a colonização das áreas queimadas por espécies de sarcofagídeos.

  • Luana Ribeiro de Andrade
  • EFEITO DA ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NO DESENVOLVIMENTO ECOFISIOLÓGICO E PRODUTIVO DA MANDIOCA DE MESA NA REGIÃO SUL MARANHENSE
  • Orientador : TIAGO MASSI FERRAZ
  • Data: 17/06/2020
  • Mostrar Resumo
  • A mandioca de mesa ou macaxeira é expressivamente preferida na dieta do nordestino, especialmente no Maranhão, entretanto, a produtividade média da cultura no estado ainda é baixa, cujo rendimento é inferior a 8,5 t ha-1. Este baixo rendimento é atribuído à carência de informações científicas referentes ao manejo produtivo, uma vez que a produção ocorre principalmente através de conhecimentos não tecnificados, sendo que o manejo da adubação da cultura é um dos fatores que mais carece de informações. Neste contexto, foi instalado um experimento, em condições de campo, com o objetivo de avaliar o comportamento morfofisiológico e produtivo da mandioca de mesa em função da adubação orgânica e mineral na Mesorregião Sul Maranhense. O experimento foi conduzido em delineamento de blocos ao acaso, arranjados em esquema fatorial 5 × 2, com quatro repetições. Os tratamentos resultaram da combinação de cinco doses de esterco bovino curtido, de relação C/N = 18/1, aplicados no solo (0, 2,5, 5,0, 7,5 e 10,0 t ha-1) e duas condições de adubação mineral (com e sem adubação com NPK). Foram avaliadas as características biométricas (Altura, diâmetro caulinar e número de folhas por planta), fisiológicas (Intensidade de verde e eficiência fotoquímica) e produtivas (Número de raízes comerciais e não comerciais, comprimento e diâmetro de raízes, massa de raízes por planta e produtividade), além do estado nutricional das plantas. Os resultados indicaram que as fontes de fertilizantes não incrementaram as variáveis biométricas e intensidade de verde, não influenciaram as características fisiológicas e pouco interferiram na extração de nutrientes pelas plantas. Por outro lado, todos os componentes de produção e produtividade foram incrementados pelas doses crescentes de esterco bovino e adubação com NPK. Com base nos resultados do presente estudo, recomenda-se adubação com 10 t ha-1 de esterco bovino e com NPK, pois embora não haja interação entre os fertilizantes, eles agem de forma complementar, incrementando os componentes de produção e produtividade da mandioca de mesa.

  • LUCIANE GUBERT PIOVESAN
  • SIMPLIFICAÇÃO DE HABITAT: os efeitos sobre as comunidades de insetos e suas implicações para os serviços ecossistêmicos em áreas agrícolas na região Nordeste do Brasil

  • Data: 05/08/2020
  • Mostrar Resumo
  • A expansão da agricultura no sul do Maranhão tem causado a simplificação da paisagem do cerrado em áreas de monocultivo de soja, exercendo um efeito negativo na riqueza de espécies de insetos e ocasionando mudanças em sua composição. Os insetos exercem importantes serviços ecossistêmicos e servem comoindicadores da qualidade ecológica dos ambientes. O presente trabalho avaliou o efeito da simplificação de habitat sobre os padrões de riqueza, abundância e composição de espécies da entomofauna presente em áreas de monocultivo de soja e reserva legal na região de Balsas-MA. Para a amostragem dos insetos utilizou-se armadilhas do tipo Provid e Moericke, e coletas ativas com rede entomológica. Realizou-se duas coletas durante o ciclo fenológico da soja: uma na floração e outra na maturação, concomitantes com coletas nas áreas de reserva, adjacentes a aos cultivos. Foram coletados 9.345 insetos classificados em 15 ordens, 93 famílias e 388 morfoespécies. As ordens mais abundantes foram Hemiptera, Hymenoptera, Diptera e Coleoptera. De modo geral, observou-se que a simplificação do habitat reduziu significativamente a riqueza dos insetos nos cultivos, enquanto pareceu não ter grandes efeitos sobre a abundância. A composição de espécies da entomofauna das quatro principais ordens coletadas mostrou similaridade entre as comunidades de insetos da reserva e do cultivo, sugerindo rotatividade de insetos entre os dois ambientes. As famílias Scarabaeidae e Formicidae parecem ter potencial bioindicador para as áreas de estudo, pois se mostraram mais diversificadas e abundantes no em comparação com as demais famílias coletadas. Os resultados encontrados fornecem subsídios para o estudo de diversos grupos de insetos, tais como as famílias Dolichopodidae, Carabidae, Fomicidae e Apidae, que são fornecedores de serviços ecossistêmicos de controle biológico e polinização e que podem beneficiar os cultivos de soja, em áreas próximas das reservas florestais. Dessa forma ressalta-se a importância da conservação da vegetação nativa de cerrado, próximo a áreas agrícolas.

2019
Descrição
  • BRUNO MACHADO ARAÚJO
  • BANCO DE SEMENTES DO SOLO EM DIFERENTES ÁREAS DE MANEJO E
    DE FRAGMENTO FLORESTAL EM AÇAILÂNDIA-MA

  • Data: 22/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • Estudos em bancos de sementes do solo são importantes para uso adequado de técnicas de restauração ambiental, particularmente, a transposição de bancos de sementes do solo de uma área conservada para deposição posterior em uma área degradada com a mesma tipologia vegetal.Entretanto, esta técnica tem como pré-requisito a avaliação do banco de sementes do solo local para conhecer as limitações existentes no ecossistema para restabelecimento da vegetação em áreas degradadas. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o banco de sementes do solo em cinco áreas com diferentes tipos de manejo localizadas em Açailândia – MA. As área avaliadasforam: T1 - floresta regenerada, T2, capoeira em regeneração, T3 - pasto degradado T4 - área de plantio de eucalipto e T5 - área de cultivo de milho em pousio. A metodologia utilizada foi de germinação em bandejas em casa de vegetação. Foram avaliadas a composição florística, por meio da identificação das espécies e famílias, a similaridade florística entre as áreas por meio do Índice de Jaccard e a diversidade florística através do Índice de Diversidade de Shannon (H’). Adicionalmente, foi realizada análise fitossociológica por meio do cálculo dos parâmetros densidade, frequência e do valor de importância de cada espécie (VI), para determinar quais as espécies mais importantes no banco de sementes do solo em cada área. As avaliações da germinação, identificação das espécies e contagem donúmero de indivíduos, conforme a forma de vida, foram feitas quinzenalmente durante 150 dias. Foram identificados 3674 indivíduos, pertencentes a 51 espécies de 33 gêneros e 21 famílias botânicas. Todas as espécies que germinaram no período avaliado tem a forma de vida herbácea, consideradas na literatura como plantas daninhas. As famílias Asteraceae e Malvaceae foram as que tiveram a maior riqueza florística com seis espécies cada. A maior densidade de germinação do banco de sementes do solo foi observada na área de cultivo de milho em pousio (T5), com 3.620 plantas m-2 seguida pela área de pasto degradado(T3), com 1.813 com plantas m-2, capoeira em regeneração (T2) com 1.676 plantas m-2, plantio de eucalipto (T4) com 845 plantas m-2 e a área de floresta regenerada, (T1) com 183 plantas m-2. As espécies mais importantes foram Chamaesyce hirta, no T1 (VI = 65,1);Corchorus aestuans, no T2 (VI = 84,9);Cyperus sp., no T3 (VI = 49,9);Chamaesyce prostrata, no T4 (VI = 43,8 e Corchorus aestuans, no T5 (VI = 46,1). A maior similaridade florística foi observada entre a capoeira em regeneração e a área de plantio de eucalipto (40%) e entre a capoeira em regeneração e o pasto degradado (38%). A maior diversidade florística foi observada no T4 (H’ = 2,59). A ausência de espécies perenes e a predominância de espécies de forma de vida herbácea, consideradas como plantas daninhas no banco de sementes do solo avaliado impõe sérias limitações.Portanto, a técnica de transposição do solo das áreas pesquisadas para recuperação de área degradadas que tenham como finalidade o uso para atividades agropecuárias não é recomendada.Entretanto, pode ser benéfica para ambientes extremamente degradados, para promover a atração de fauna polinizadora e dispersora de sementes, controlar a erosão e melhorar as caraterísticas físicas e químicas,no sentido de contribuir para a conservação do solo.

  • DIÊGO PEREIRA SANTOS
  • “EFEITO DA APLICAÇÃO DE FILME DE PARTÍCULAS A BASE DE CAULIM EM PLANTAS DE EUCALIPTO”

  • Data: 11/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Diante do cenário atual de mudanças climáticas, o qual culmina no aumento das temperaturas globais pela intensificação do aquecimento global, é indispensável o desenvolvimento de tecnologias que favoreçam a sobrevivência e o crescimento de mudas após o plantio, e, consequentemente, o aumento da produtividade em campo diante dessa realidade. A aplicação de filmes de partícula a base de caulim calcinado tem sido utilizada como barreira protetora contra os efeitos deletérios da radiação solar e do excesso de temperatura. O presente trabalho visou avaliar os efeitos da aplicação de filme de partículas a base de caulim calcinado purificado em plantas de eucalipto, em condições normais de irrigação e sob sua interrupção. Nas duas condições de cultivo foram estabelecidos cinco tratamentos, sendo: controle (sem aplicação do filme de partículas), 3%, 5% 7% e 10% de volume de calda. A aplicação foi realizada na parte adaxial das folhas. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, apresentando cinco tratamentos com 10 repetições, totalizando 50 unidades experimentais para as plantas sob irrigação, enquanto que para a condição de interrupção da disponibilidade hídrica, feita aos 60 dias, 25 plantas permaneceram sendo irrigadas, e em 25 a irrigação foi cessada. As plantas foram avaliadas quanto à altura, o diâmetro ao nível do solo, a temperatura foliar, às trocas gasosas (assimilação fotossintética de CO2, condutância estomática e transpiração), a eficiência instantânea e intrínseca do uso da água, a fluorescência da clorofila (rendimento quântico máximo do fotossistema II, densidade de centros de reação ativos e rendimento quântico efetivo de conversão de energia), a intensidade de verde e a ontogenia foliar. A aplicação do filme de partículas fotoprotetoras a base de caulim calcinado purificado mitigou os efeitos da intensidade luminosa e alta temperatura nas menores concentrações do volume de calda do produto, sob condições normais de irrigação, tendo a dose de 3% apresentado os melhores resultados no geral. Não foram observados efeitos significativos, da aplicação do produto, sob a interrupção da irrigação. O crescimento em altura e diâmetro, das plantas, apresentaram respostas positivas à aplicação do caulim, durante o período de avaliações, sendo os maiores incrementos observados para a dose de 3%

  • ELIONETO DE SOUSA LIMA
  • COMUNIDADES DE DÍPTEROS NECRÓFAGOS DAS FAMÍLIAS CALLIPHORIDAE E SARCOPHAGIDAE (DIPTERA, OESTROIDEA) EM DIFERENTES PAISAGENS DO OESTE MARANHENSE

  • Data: 23/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A extração de madeira foi uma das principais atividades na década de 80 na região oeste Maranhense, conhecida como portal da Amazônia. Após esse desmatamento em larga escala nesta região, os ambientes de florestas foram dando lugar às plantações de pastagem (pecuária bovina) e de Eucalyptus spp (indústria de papel e celulose). Diante a essas modificações antrópicas, em especial nos municípios de Açailândia, Cidelândia, Imperatriz e São Francisco do Brejão, este estudo teve como objetivo avaliar o efeito das paisagens sobre a estrutura da comunidade de dípteros necrófagos, das famílias Calliphoridae e Sarcophagidae na região oeste maranhense. O estudo foi realizado em quatro paisagens diferentes (Pastagem com espécies florestais-PF, Pastagem convencional-PC, Plantação de Eucalipto-PE e Fragmento de Floresta-FF) no período de setembro de 2017 a setembro 2018. As coletas utilizando armadilhas especificas para dípteros necrófagos e armadilhas Van Someren-Rydon, foram realizadas em 20 áreas, sendo cinco réplicas em cada paisagem. Foram coletados 22.807 dípteros muscoideos, distribuídos em 21 famílias, sendo que as famílias Sarcophagidae (7.866 ind.; 34.49 %) e Calliphoridae (1.754 ind.; 7.69%) foram as mais abundantes. A família Sarcophagidae com 6.386 individuos, foi representada por 11 gêneros, 14 subgêneros e 44 espécies. As espécies mais abundantes foram Tricharaea (Sarcophagula) occidua (Fabricius, 1794) com 4.697 (73,55%) indivíduos, Peckia (Sarcodexia) lambens (Wiedemann, 1830) com 802 (12,56%) indivíduos, seguidos pela Oxysarcodexia thornax (Walker, 1849) com 242 (3.79%). Apenas a abundância das espécies T. (Sarcophagula) occidua (H = 15,1685 p = 0,0017) e Oxysarcodexia thornax (H= 15,9491; p = 0,0012) diferiram entre os ambientes.  Quanto aos Índices de frequência e Constância, três espécies foram consideradas Comuns (7%), 15, Intermediárias (34 %) e 26, Raras (59%). Na família Calliphoridae, foram registrados seis gêneros e nove espécies. A espécie Chrysomya albiceps (Wiedemann, 1819) foi a mais abundante, representando (34,15%) do total de indivíduos coletados, seguida de Cochliomyia macellaria (Fabricius, 1775) (30,22%) e Chloroprocta idioidea (Robineau-Desvoidy, 1830) (23,55%). A abundância de Chrysomya albiceps (F = 13.4586; p = 0,0003), C. macellaria (F = 16,5148; p = 0,0001) e Ch. idioidea diferiu entre todos os ambientes (H = 15,5803; p = 0,0014). Três espécies foram consideradas Comuns (33,5%), quatro Intermediárias (44,5%) e duas Raras (22%). A análise de ordenação (NMDS) e similaridade (ANOSIM) demonstrou que as comunidades são distintas entre todos os ambientes com relação à composição das famílias de dípteros (R = 0,909) e das famílias Calliphoridae ((R = 0,816). Para Sarcophagidae, a ordenação (NMDS) demonstrou no Eixo 1, a formação de dois agrupamentos, um com os ambientes Fragmento de Floresta e Plantação de Eucalipto e o outro com os ambientes de pastagens. Embora as comunidades não sejam distintas entre todos os ambientes, a análise de similaridade (ANOSIM) apresentou um valor significativo (R = 0,699). A pesquisa demostrou a expressiva plasticidade ambiental dessas famílias de dípteros necrófagas, dada à capacidade de se adaptar a diferentes ambientes. Ressalta-se que o ambiente de pastagem com espécies florestais, mesmo sendo antropizado, apresenta-se  mais heterogêneo que as pastagens convencionais, fato esse que influenciou nos padrões de abundância e riqueza desses táxons, representando dessa forma, uma importante na  estratégia na compreensão dos processos de manutenção e conservação de espécies na  região. O presente trabalho ainda apresenta um indicativo de três prováveis novas espécies de Sarcophagidae, deixando claro a necessidade de realização de mais coletas nesta região oeste maranhense, como também do desenvolvimento de estratégias de conservação das áreas, objetivando conservação de possíveis espécies ainda não descobertas. 

  • EUDOXIO GOMES DOS SANTOS JUNIOR
  • MOSCAS VAREJEIRAS (DIPTERA: CALLIPHORIDAE) COMO BIOINDICADORES DE METAIS POTENCIALMENTE TÓXICOS EM ÁREAS ANTROPIZADAS NO CERRADO MARANHENSE

  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A intensificação do consumo de produtos pela humanidade tem como reflexo a geração de grandes quantidades de resíduos sólidos que são comumente descartados em ambientes a céu aberto denominados lixões. Entre os efluentes depositados nos lixões estão os metais pesados que, em algumas condições, podem atuar de maneira nociva, justificando-se estudos sobre o acúmulo de tais substâncias. Os dípteros da família Calliphoridae, conhecidos como moscas varejeiras, são encontrados em áreas urbanas, rurais e florestais, sendo atraídos por substâncias em processo de decomposição. Desta forma, estas características lhes conferem capacidade de serem usados como bioindicadores de interferências antropogênicas em ambientes naturais. Dessa forma, este estudo visa utilizar espécies sinantrópicas de moscas da família Calliphoridae como bioindicadores de concentrações de metais potencialmente tóxicos em ambientes antropizados (lixões). Foram utilizadas 200 armadilhas para captura de dípteros necrófagos em áreas dos municípios de Balsas e São Raimundo das Mangabeiras (MA), sendo 100 nas áreas de influência dos depósitos municipais de resíduos sólidos (lixões) desses dois municípios (ambiente antropizado) e 100 em áreas de cerrado conservado. Também foram coletadas amostras de solo nos locais de instalação das armadilhas. Posteriormente, foi feita a análise dos níveis de metais potencialmente tóxicos, tanto nas moscas quanto nos solos coletados. Foram coletadas 27.933 dípteros pertencentes a 11 famílias, sendo 17.767 em ambiente antropizado e 10.166 em ambiente de cerrado preservado. As famílias mais abundantes foram: Muscidae (35,4%), Calliphoridae (23,5%), Otitiidae (20,9%), Sarcophagidae (16,1%) e Faniidae (3%). Da família Calliphoridae foram coletados 6.560 espécimes, sendo 4.550 no ambiente antropizado e 2.010 no cerrado conservado, distribuídos em 04 gêneros e 06 espécies, com destaque para Chrysomya megacephala (45,53%), Chrysomya albiceps (27,52%), Cochliomyia macellaria (11,36%) e Chloroprocta idiodea (10,38%). Com exceção de uma área antropizada que apresentou 10,40 %, as outras áreas apresentaram valores de matéria orgânica menores que 10%. O pH em água mostra que os solos analisados, de modo geral, têm caráter ácido. O pH em água foi maior que o pH em KCl. ∆pH e PCZ indicaram ocorrência de cargas negativas em ambos ambientes. O ambiente antropizado apresentou maiores concentrações das espécies metálicas analisadas (Cd, Pb, Cr, Mn e Zn) tanto nos solos quanto nas moscas, sendo que as concentrações de Cádmio ficaram abaixo dos valores de detecção nos solos. O mesmo ocorreu com o chumbo nas moscas do ambiente conservado. As três espécies investigadas da família Calliphoridae (Chrysomya megacephala, Chrysomya albiceps e Chrysomya putoria) apresentaram alto potencial de bioacumulação para Cr, Mn e Zn. Houve tendência de melhor indicação da presença de metais por fêmeas.

  • FILIPE IGOR LEAL DE SOUZA
  • CRESCIMENTO E DESEMPENHO FISIOLÓGICO DE GENÓTIPOS DE SOJA COM POTENCIAL PARA CULTIVO SOB CONDIÇÕES DE ESTRESSE HÍDRICO E SALINO

  • Data: 18/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • A soja dispõe de grande valor para o setor agrícola brasileiro que, por sua vez, ocupa posição de destaque no cenário global. Contudo, efeitos abióticos de seca ou salinidade podem gerar implicações negativas no desenvolvimento da planta e na sua produtividade. Portanto, com o objetivo de selecionar genótipos de soja com maior tolerância aos estresses hídrico e salino, realizaram-se dois experimentos, sendo estresse hídrico e estresse salino em genótipos de soja, seguindo um delineamento experimental inteiramente casualizado, com arranjo fatorial 8×3, com 5 repetições. Para o estresse hídrico, utilizaram-se oito genótipos de soja e 3 tratamentos de estresse (controle, seca moderada e seca severa). Para o estresse salino foram utilizados os mesmos genótipos do estresse hídrico e três níveis de condutividade na água de irrigação 0,8 dS m-1 (controle), 4,0 dS m-1 (salinidade moderada) e 8,0 dS m-1 (salinidade severa). Foram avaliados os parâmetros de crescimento, as trocas gasosas, a eficiência fotoquímica do fotossistema II e os pigmentos fotossintéticos. Os estresses reduziram significativamente os processos fisiológicos da fotosssíntese e a produtividade de biomassa das plantas devido aos fatores de fechamento estomático. As plantas M8349, BMX Bônus e RK8317 obtiveram melhor desempenho em condições de seca moderada enquanto plantas M8808 podem ser cultivadas sob estresse hídrico severo. Para a salinidade, BMX Bônus e RK8115 apresentam elevada tolerância à irrigação com água de salinidade moderada e o genótipo M8349 se desenvolveu melhor em salinidade severa. Os genótipos de soja estudados apresentam maior média de tolerância ao estresse salino moderado que à seca moderada. Os genótipos M8349, BMX Bônus e RK8317 podem ser cultivados em solos com disponibilidade hídrica moderada, e o genótipo M8808 pode ser cultivado sob estresse hídrico severo. Os genótipos BMX Bônus e RK8115 apresentam elevada tolerância à irrigação com água com condutividade elétrica ≤ 4,0 dS m-1 , e o genótipo M8349 se desenvolve melhor quando irrigado com água com condutividade elétrica em torno de 8,0 dS m-1 . Os genótipos tolerantes ao estresse hídrico e salino podem ser amplamente utilizados em programas de melhoramento genético e cruzados a fim de desenvolver novos cultivares com maior produtividade nos ambientes com condições adversas.

  • GUSTAVO COSTA DE OLIVEIRA
  • FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO DO ESTADO DE NITROGÊNIO EM PLANTAS DE MILHO CULTIVADAS EM SOLOS COESOS DE BAIXA FERTILIDADE

  • Data: 02/09/2019
  • Mostrar Resumo
  • O nosso objetivo foi desenvolver índices nitrogenados baseados em índices SPAD como ferramenta não destrutiva para prognosticar o estado de N e a produtividade do milho ao longo do desenvolvimento da cultura. Foram usadas cinco doses de N (0, 30, 60, 120 ou 180 kg ha-1) aplicadas em cobertura, para criar variabilidade nos índices nitrogenados avaliados nas plantas de milho. Foi usado delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. Foi usado o híbrido de milho AG1051. O valor do SPAD foi obtido em quatro folhas totalmente expandidas a partir do ápice da planta em cinco fases de crescimento vegetativo (V5, V7, V11, antese e grão leitoso). Posteriormente, o valor do SPAD foi utilizado para calcular o índice SPAD normalizado (ISN), o índice SPAD relativo (ISR), a Diferença do índice SPAD (DIS), a Diferença do índice SPAD relativo (DISR) e a Diferença do índice SPAD normalizado (DISN). Ainda, em cada fase de crescimento foram determinados o teor de N na folha (TNF) e na planta (TNP), índice de nutrição nitrogenada (INN) e N acumulado na planta (NA). Os valores de INN variaram de 0,47 a 1,53. Os valores de INN foram superiores a 1,0 para todas as doses de N no estádio V5, exceto para N0 (INN = 0,99) e V7. Isso indica que o crescimento das plantas não foi limitado pelas doses de N. As doses de N influenciaram de forma quadrática crescente a produtividade de grãos. A dose de 114,2 kg ha-1 de N proporcionou a máxima produtividade de grãos de 2955,4 kg ha-1. Na fase V7, a produtividade de grãos apresentou a maior correlação com o valor SPAD obtido na folha L1 (r = 0,72; p < 0,01) e a menor correlação com ISN2 (r = 0,52; p < 0,05). Isso indica que 52% da produtividade de grãos foi explicada pelo valor do SPAD. Os resultados das correlações entre os índices SPAD e de N indicam que as folhas L1 e L2 são as mais sensíveis para leitura SPAD nas fases iniciais da cultura do milho. Os estádios iniciais V5 e V7, e as folhas L1 e L2 foram as que mostraram maior significância e r2 dos índices SPAD com os 4 indicadores de N, mas com relação baixa ou não significativa para folha L1 em V11.

  • IZADORA SANTOS DE CARVALHO
  • ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DO REGIME DE QUEIMADAS NO PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DAS MESAS

  • Data: 28/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, se destacando das demais savanas existentes pelo mundo devido a sua grande biodiversidade e por isso é considerado um dos hotspots mundiais. O Parque Nacional da Chapada das Mesas (PNCM), localizado no bioma Cerrado, no estado do Maranhão, contempla diversas fitofisionomias, e elevado potencial científico, ecológico e turístico e foi umas das primeiras áreas de proteção a fazer parte do programa de Manejo Integrado do Fogo (MIF) – Cerrado Jalapão. Portanto, o objetivo geral do estudo foi realizar a reconstrução do histórico de queimadas do PNCM, compreendo o período de 1990-2017, e analisar as relações dos padrões encontrados com os tipos de fisionomias do parque. Dessa forma foi realizado um estudo espaço temporal através de ferramentas e dados de sensoriamento remoto, com o intuito de obter dados do regime de queimada (frequência, extensão, estação), sendo realizado também o mapeamento da classificação dos tipos de vegetação do PNCM a partir de imagem de satélite de alta resolução espacial e análise de classificação orientada a objeto. O estudo foi realizado utilizando softwares SIGs (ArcGIS, QGIS), Rstudio e algoritmos implementados em bibliotecas na linguagem Python, além de dados vetoriais e raster. O uso de métodos e ferramentas computacionais, como o geoprocessamento e o sensoriamento remoto, permitiram a realização do estudo em toda a área do PNCM e entorno para a determinação do regime de queimadas, e para o mapeamento da vegetação na área do parque. Portanto a pesquisa buscou contribuir para a gestão e monitoramento do parque, uma das maiores riquezas do ecossistema do bioma cerrado existentes no estado do Maranhão, além de subsidiar e estimular pesquisas futuras.

  • MARCIA ALDEANY ALMEIDA DE SOUSA
  • COMPOSIÇÃO QUÍMICA E ATIVIDADE FITOTÓXICA DO ÓLEO ESSENCIAL DE Lippia organoides EM PLANTAS DANINHAS

  • Data: 28/03/2019
  • Mostrar Resumo
  •  

    Estudos na área de alelopatia na agricultura tem aumentado devido buscas de métodos alternativos no controle de plantas daninhas em relação aos herbicidas convencionais. Lippia origanoides é uma planta nativa da América do Sul e Central que possui diversos quimiótipos e que tem sido grande alvo de pesquisas devido suas propriedades medicinais. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo avaliar a composição química e a fitotoxidade do óleo essencial de Lippia origanoides em plantas daninhas das espécies Bidens subalternans, Euphorbia heterophylla e Macroptilium lathyroides em condições laboratoriais e casa de vegetação. O óleo essencial foi extraído das folhas de L. origanoides por meio de hidrodestilação e diluído nas concentrações de 0,01%; 0,05%; 0,1%; 0,5% e 1%. A composição química foi determinada por cromatógrafo a gás acoplado à espectrômetro de massas. A atividade fitotóxica foi avaliada em pré e pós-emergência por meio de testes de germinação, crescimento de plântulas, teor de clorofila e respiração celular. A análise química demonstrou um óleo essencial rico em monoterpenos, principalmente oxigenados, com cânfora, canfeno e β-Bisaboleno como compostos majoritários. Em geral, tanto a germinação como o desenvolvimento de plântulas foram fortemente inibidos pelo óleo essencial, diminuindo com o aumento das concentrações. As concentrações 0,5 e 1,0% inibiram totalmente a germinação de B. subalternans, mas não afetaram a germinação de M. lathyroides. O óleo essencial pulverizado sobre as folhas das plantas daninhas não apresentou efeito sobre o teor de clorofila, mas foi capaz de induzir lesões visíveis como necrose e clorose. Somente a respiração celular de E. heterophylla foi afetada pelo óleo essencial. Todos os efeitos fitotóxicos observados devem-se ao grande teor de monoterpenos no óleo essencial, principalmente os oxigenados, e também a concentração utilizada

  • MARIA DE FÁTIMA DE CASTRO OLIVEIRA
  • PRODUÇÃO E QUALIDADE DE MINIESTACAS DE EUCALIPTO SUBMETIDAS À APLICAÇÃO DE FILME DE PARTÍCULAS A BASE DE CAULIM

  • Data: 14/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Com a expansão dos plantios florestais no território nacional e a iminência do aumento das temperaturas decorrentes do aquecimento global, torna-se relevante a abordagem de tecnologias que favoreçam o maior crescimento e desenvolvimento do minijardim clonal a fim de garantir a produtividade dos viveiros. A aplicação de filmes de partícula a base de caulim calcinado tem sido utilizada como barreira protetora dos efeitos negativos da radiação solar e temperatura. Este estudo buscou avaliar os efeitos da aplicação de filme de partículas de caulim calcinado purificado, em minijardim clonal, na produção e qualidade de miniestacas de eucalipto. Foram realizados dois experimentos: um experimento na época chuvosa e outro na época seca. Os experimentos foram instalados em esquema de parcelas subdivididas, com 4 repetições, no delineamento em blocos casualizados. As parcelas foram constituídas de cinco doses de caulim calcinado purificado (0, 3%, 5%, 7% ou 10% de volume de calda) e as subparcelas foram constituídas de duas medições ou seis coletas de miniestacas. O produto foi aplicado na parte adaxial das folhas. Cada tratamento foi composto por 100 minicepas (01 m², com espaçamento de 10 cm x 10 cm), totalizando 500 unidades experimentais por bloco e 2000 no total. As minicepas foram avaliadas quanto à temperatura foliar, às trocas gasosas (assimilação fotossintética de CO2, condutância estomática e transpiração), eficiência do uso da água, o rendimento quântico máximo do fotossistema II, intensidade de verde e produtividade de miniestacas. As miniestacas foram avaliadas quanto ao comprimento, diâmetro, massa foliar específica e enraizamento. Os resultados mostram que a aplicação de caulim não favoreceu a produção, índice de produtividade e enraizamento de miniestacas de eucalipto. Na fisiologia, considerando o horário mais quente do dia, a aplicação de doses de caulim não influenciou as trocas gasosas de minicepas de eucalipto. Nas avaliações no horário da manhã houve interação entre as doses e épocas (chuvosa e seca) sem ajuste de modelo nas variáveis de fotossíntese, relação ci/ca, eficiência no uso da água e eficiência intrínseca no uso da água. A intensidade de verde das folhas, a eficiência fotoquímica e a massa foliar específica aumentou com o incremento de doses de caulim. Para ambientes que apresentam temperaturas elevadas, a pulverização de caulim calcinado sobre o minijardim clonal pode ser uma estratégia para reduzir o intervalo de coletas de miniestacas e aumentar a produtividade do viveiro, devido ao incremento no comprimento de brotações proporcionado por este na época seca.

  • NARA PRISCILA BARBOSA BRAVIM
  • BIODEGRADAÇÃO DOS HERBICIDAS ATRAZINA, GLIFOSATO E PENDIMETALINA EMPREGANDO CONSÓRCIO FÚNGICO 

  • Data: 20/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os herbicidas podem prejudicar os componentes da biota do agroecossistema, contaminar o meio ambiente e tornar o solo degradado e improdutivo, logo a descontaminação se faz necessária. A biorremediação é um processo que utiliza organismo vivos para degradar, reduzir ou remover contaminantes de uma matriz ambiental, como o solo. O objetivo deste trabalho foi avaliar a biorremediação de solos contaminados com atrazina, glifosato e pendimetalina por consórcios fúngicos isolados de solos agrícolas, nos processos de biorremediação em microcosmos. Fungos filamentosos foram isolados de solos agrícolas e cultivados em meio de cultura KATAYAMA contaminado com 0, 10, 20, 50 e 100 µg mL-1 dos herbicidas por 14 dias. Os fungos que se mostraram resistentes foram plaqueados em meio de cultura sabouraud dextrose 4% contaminado com 0, 10, 20, 50 e 100 µg mL-1 dos herbicidas e incubadas por sete dias a 28°C para análise do crescimento micelial. A atividade de biodegradação dos fungos resistentes foi avaliada em microcosmos, isoladamente e em consórcio, através da respiração microbiana (mg de CO2). Os microcosmos consistiram em potes fechados contendo solo, 0 e 50 μg mL-1 dos herbicidas e fungos resistentes. Em seguida, raízes de Allium cepa foram expostas, por 24 horas, aos elutriados dos solos tratados nos microcosmos. As raízes foram coletadas e analisadas para determinação da mutagenicidade no ciclo celular, desta forma os resíduos dos herbicidas, após o processo de biodegradação, foram detectados. Os resultados do experimento foram submetidos à Anova, teste de Tukey e teste de Fischer com p<0,05% para comparação de médias. Os fungos Aspergillus fumigatus, Fusarium verticillioides e Penicillium citrinum mostram-se resistentes e aptos à degradação dos herbicidas estudados. Fusarium verticillioides apresenta maior média de crescimento micelial em meio de cultura contaminado com atrazina, nas concentrações 10 e 20 µg mL-1 , e glifosato, na concentração 10 µg mL-1 . Em meio de cultura contaminado com pendimetalina Fusarium vercitillioides e Aspergillus fumigatus apresentam as maiores médias de crescimento micelial na concentração 10 µg mL-1 . Nos experimentos em microcosmos, os consórcios Fusarium verticillioides - Aspergillus fumigatus, Fusarium verticillioides - Penicillium citrinum e Aspergillus fumigatus - Penicillium citrinum apresentam capacidade de metabolizar o herbicida atrazina, contudo Aspergillus fumigatus - Penicillium citrinum mostra maior eficiência. Nos microcosmos contaminados com glifosato e pendimetalina, Aspergillus fumigatus - Penicillium citrinum apresenta inibição de crescimento. No teste de genotoxicidade, observa-se atraso no índice mitótico das células de Allium cepa expostas ao elutriato de solo contaminado com atrazina e pendimentalina na concentração 50 µg mL-1 , após o experimento em microcosmos. As células expostas ao elutriato de solo contaminado com glifosato na concentração 50 µg mL-1 e tratado com o consórcio Aspergillus fumigatus - Penicillium citrinum não apresentam atraso no índice mitótico. Foram encontradas apenas divisão celular desorganizada na fase metáfase das células expostas aos elutriatos de solo na concentração 50 µg mL-1 dos três herbicidas. As alterações ocorridas foram consideradas baixas, indicando que há degradação de parte dos herbicidas.

  • NIEDJA BEZERRA COSTA
  • DESEMPENHO ECOFISIOLÓGICO E EFICIÊNCIA DO USO DA ÁGUA DE CULTIVARES  DE SOJA

  • Data: 28/02/2019
  • Mostrar Resumo
  • A cultura da soja (Glycine max L.) tem grande importância agrícola, no cenário nacional e internacional. A crescente frequência e intensidade de períodos de seca, associados a altas temperaturas, decorrente das mudanças climáticas, vem causando perdas substanciais em áreas agrícolas. Desse modo, avaliações do desempenho ecofisiológico das plantas permitem entender o comportamento das variáveis fisiológicas (condutância estomática, transpiração, fotossíntese e temperatura foliar), bem como as respostas no rendimento produtivo. A eficiência do uso da água caracteriza a ligação dos ciclos da água e carbono. Compreender os mecanismos fisiológicos envolvidos nessa propriedade, e ser capaz de prever seu comportamento em um ambiente de constantes mudanças é um desafio fundamental. Diante disso, este estudo teve como objetivo avaliar o comportamento ecofisiológico de cultivares de soja. Foram utilizadas três cultivares (CS01, CS02 e CS03), avaliadas durante os estádios V5 e R5. Sendo os parâmetros fisiológicos: assimilação fotossintética de CO2, transpiração, condutância estomática, índice SPAD, Fv/Fm e índice fotossintético (PI). Com os valores das trocas gasosas, foram determinadas a eficiência do uso da água (EUA) e eficiência intrínseca do uso da água (EIUA). Além disso, foram obtidas as biomassas e componentes de produção. As trocas gasosas foram significativas no estádio R5. A CS02 apresentou as maiores médias da relação Fv/Fm e PI. A EUA apresentou relações lineares positivas para todas as cultivares. Em ambos os estádios de desenvolvimento, a CS02 foi mais eficiente no uso da água, tendo obtido maior valor de assimilação de CO2 por cada grama de água transpirada no estádio V5 (13,62 mg CO2 g-1 H2O).  Os valores máximos de EIUA foram verificados na CS03, apresentando, 22,71 e 1,63 µmol CO2 mol-1 H2O, para V5 e R5, respectivamente. De acordo com os resultados obtidos, a CS02 obteve os melhores desempenhos nas principais variáveis analisadas, sendo esta, a mais eficiente no uso da água e mais produtiva das cultivares estudadas, em condições de campo no sudoeste do Maranhão.

  • PATRICK COSTA SILVA
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DOS ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO E DOS COMPONENTES DE PRODUTIVIDADE DO MILHO SOB SISTEMA DE PLANTIO DIRETO

  • Data: 15/08/2019
  • Mostrar Resumo
  • A compreensão da variabilidade espacial dos atributos do solo permite ao agricultor a implementação da agricultura de precisão em sua propriedade ao garantir a otimização no processo produtivo e incrementos de rendimentos em função do manejo adequado de sites específicos e geração de mapas de produtividade. Este trabalho teve por objetivos determinar e mapear a variação espacial dos atributos físicos do solo e dos componentes de produtividade do milho em uma área sob plantio direto, além de caracterizar a relação entre estes atributos para obtenção de variáveis com potencial para o reconhecimento de sites específicos de manejo. O estudo foi conduzido na Fazenda Santa Luzia, localizada no município de São Raimundo das Mangabeiras, MA, em uma área experimental de aproximadamente 0,7 ha, manejada sob plantio direto. A avaliação dos parâmetros físicos do solo e da produtividade da cultura do milho foi realizada com o auxílio de uma malha de 10x10 m, em que os pontos amostrais corresponderam ao cruzamento entre as linhas e colunas da grade. Foram realizados, em cada ponto amostral, o registro das coordenadas geográficas com GPS Garmin 76CSx, coleta de amostras indeformadas de solo com anéis volumétricos de 100 cm³ na profundidade de 0,0-0,2 m, medição de resistência do solo à penetração com penetrômetro digital Falker PLG 1020 nas profundidades 0,0-05, 0,06-0,10, 0,11-0,15, 0,16-0,20 cm, coleta de amostras deformadas com trado nas profundidades de 0,0-0,1 e 0,11-0,20 m para determinação da umidade no momento da amostragem e colheita do milho em uma área de 4 m², totalizando 100 amostras. Foram determinados a densidade do solo (Ds), porosidade total (Pt), macroporosidade (Ma), microporosidade (Mi), teor de areia fina (AF), teor de areia grossa (AG), teor de silte (Si), teor de argila (Ar), resistência à penetração (RP1, RP2, RP3, RP4), pressão máxima (Pm), profundidade da pressão máxima (Ppm), umidade (UD1 e UD2), peso da espiga (PE), peso de cem grãos (PCG), número de grãos por espiga (NGE) e produtividade (Prod). Os dados foram submetidos à análise descritiva, análise exploratória, teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov (K-S), correlação de Pearson, modelagem e ajuste dos semivariogramas, krigagem ordinária e geração de mapas temáticos. A partir da análise de correlação, foram obtidas correlações positivas para as variáveis teor de areia grossa e pressão máxima, e correlações negativas para teor de silte e profundidade da pressão máxima. Foi verificada a ocorrência de dependência espacial para a maior parte dos atributos físicos do solo e componentes de produtividade, com variação do grau de dependência espacial entre forte e moderado, exceto para umidade 0-10 cm, profundidade da pressão máxima, peso da espiga e número de grãos por espiga, que apresentaram efeito pepita puro. A Krigagem ordinária foi realizada para as variáveis que exibiram dependência espacial e gerou mapas de isolinhas que permitiram a visualização da variação dos atributos estudados e a identificação de potenciais zonas de manejo.

  • RÉGIA KAROLYNY LOPES NUNES
  •  Identificação de variáveis preditoras para a produção de milho sob plantio direto de longa duração

  • Data: 01/07/2019
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura de precisão tem como ponto de partida a concepção de que é possível identificar variáveis preditoras para o bom desenvolvimento de uma cultura, além de poder quantificá-las e localizá-las graficamente no intuito de orientar tomadas de decisão relacionadas ao manejo. Este trabalho teve por objetivos mapear e avaliar a variação espacial dos indicadores químicos de qualidade do solo e componentes de produtividade da cultura do milho, identificar dentre os atributos químicos aqueles que se comportem como limitantes da produtividade do milho e delinear sites específicos que merecerão manejos diferenciados posteriormente. O experimento foi conduzido em uma área de 0,7 ha com 100 pontos amostrais regularmente dispersos em grade amostral de 10 x 10 m. Os dados foram analisados em etapas interligadas: Etapa 1) estatística descritiva, Etapa 2) teste de normalidade (Kolmogorov-Smirnov), Etapa 3) parâmetros do semivariograma, Etapa 4) análise de correlações, Etapa 5) mapas de isolinhas. Constatou-se a presença de variabilidade espacial para todos os atributos químicos do solo e componentes de produtividade. O grau de dependência espacial variou de moderado a forte, o que possibilitou demonstrou através dos mapas de isolinhas as potencialidades e limitações do sistema de plantio direto de longa duração. Foi verificada correlação positiva entre o fósforo e a produtividade.

SIGUEMA Acadêmico | Coordenação de Sistemas de Informação - 2016-8200, ramal 9950/2016-8201/2016-8202 | Copyright © 2006-2024 - UEMA - AppServer2.s2i1